Questões de Artes da IFB

Sobre Eugênio Barba, seus procedimentos e pensamento, considere as afirmações a seguir.

I) É diretor do “Odin Teatret”, fundador da ISTA (International School of Theatre Anthropology), autor de “A Arte Secreta do Ator” e “Canoa de Papel” e criador da Antropologia Teatral.

II) Acredita que a partiturização e as sequências fixas de movimento são um caminho para novas descobertas.

III) Acredita que o ator não deve dedicar-se à técnica, pois esta acaba com a espontaneidade.

IV) Postula que o ator precisa dilatar o seu corpo para estar em cena.

Assinale a alternativa que apresenta somente as afirmativas CORRETAS.

  • A. I, II, IV
  • B. I, II, III
  • C. III, IV
  • D. II, IV
  • E. I, II
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Sobre o Teatro no Período Renascentista considere as seguintes afirmações.

I) No contexto de consolidação das nações e luta pela sua autonomia em relação à igreja, a dramaturgia volta-se para as conquistas estatais.

II) A ideia de hibris (excesso) e catarse (purificação através do sofrimento) de Aristóteles são utilizadas para justificar a presença do horror na encenação de fatos históricos.

III) Os atores passam a ter que se adaptar às regras da perspectiva e harmonia.

IV) Perde-se o interesse pelo elemento visual da cena.

Assinale a alternativa que apresenta somente as afirmativas CORRETAS:

  • A. I, II, IV
  • B. I, II, III
  • C. III, IV
  • D. II, IV
  • E. I, II
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Sobre a consolidação do Teatro enquanto uma poética autônoma em relação à literatura dramática e as diversas contribuições, pode-se dizer que:

I) Coupeau, Jouvet, Pitöeff, Dullin, Baty e Vilar foram designados de “zeladores do texto”, pois o tinham como lugar de uma verdade a ser revelada, que encenação não poderia ofuscar. Ainda assim, atuaram na direção da renovação da arte da representação, quando propuseram o “palco nu” para o texto “respirar”;

II) Tadeusz Kantor retoma o conceito de Supermarionete de Gordon Craig, desenvolvendo-o em favor de suas ideias sobre o que chamou “Teatro da Morte”;

III) Barthes nos anos 60 defende que o texto é polissêmico (permite múltiplas interpretações e não a representação de uma verdade), fornecendo apoio teórico para a experimentação da multiplicidade de formas cênicas e para o procedimento que se nomeou “desconstrução” do texto dramático;

IV) No percurso de consolidação da poética teatral durante o Século XX, prevaleceu a ideia de que o texto dramático precisa ser compreendido para ser encenado.

Assinale a alternativa que apresenta somente as afirmativas CORRETAS.

  • A. I, II, IV
  • B. I, II, III
  • C. III, IV
  • D. II, IV
  • E. I, II
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Sobre a consolidação do teatro como poética autônoma em relação à literatura dramática durante o Século XX, considere as assertivas abaixo.

I) Bob Wilson com “Quartett” e “Hamlet”, Vitez com com “Andrômaca” e “Electra”; Peter Stein com “Agamemnon”; Frank Castorf com “Medeia”; Romeu Castellucci com “Oréstia” e “Julio César”: são exemplos de encenadores que desconstroem o texto dramático em função da autonomia da cena teatral.

II) Um dos importantes atores dos espetáculos de Peter Brook é Yoshi Oida, autor dos livros “O Ator Invisível” e “O Ator Errante”.

III) Em cenas de “A Tempestade” (Brook, 1990) podemos ver Yoshi Oida acentuando o desenho do movimento a título de conduzir o foco do espectador.

IV) Com um grupo híbrido de atores, diferentes formações e nacionalidades, Pina Bausch dirige montagens que marcaram a História do Teatro, como Mahabharata.

Assinale a alternativa que apresenta somente as afirmativas CORRETAS:

  • A. I, II, IV
  • B. I, II, III
  • C. III, IV
  • D. II, IV
  • E. I, II
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

O século XX assistiu à consolidação da cena teatral como uma poética autônoma em relação à literatura dramática. Houve nomes importantes, cada qual com o seu projeto estético e contribuição. Neste percurso, pode-se dizer que:

I) Meyerhold estudou modalidades diferentes de treinamento e partiturização atorais, formalizando “princípios que retornam” e organizando-os no que chamou “Antropologia Teatral”.

II) Eugênio Barba conta com um procedimento de treinamento atoral chamado Biomecânica. Uma marcante montagem, onde a estética deste procedimento aparece, é “O Inspetor Geral”.

III) Fundado por Judith Malina e Julian Beck nos EUA, nos anos 60 o “Living Theatre” tornouse um dos grupos mais importantes do mundo, com peças que circularam em mais de 40 países.

IV) No espetáculo “Paradise Now”, do “Living Theatre”, a repetição dos movimentos do coro em disposição circular evoca a visualidade de um ritual, reforçada pela repetição dos sons e gestos. Frases como to be free reforçam a ideia de libertação que o espetáculo veiculava.

Assinale a alternativa que apresenta somente as afirmativas CORRETAS:

  • A. I, II, IV
  • B. I, II, III
  • C. III, IV
  • D. II, IV
  • E. I, II
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Sobre o “Teatro do Absurdo” pode-se afirmar que:

I) O termo surgiu com Martin Esslin, crítico inglês que assim designou obras de Ionesco, Beckett e Adamov, articulando-as com a literatura de Albert Camus, cujo “absurdo” era um mote recorrente.

II) Destacam-se, enquanto influências para o Teatro do Absurdo: os mimodramas que atravessam a Idade Média com os saltimbancos e bobos, a Comédia dell’Arte, o Music Hall, o Vaudeville e as chamadas comédias nonsense, além de James Joyce, Franz Kafka, Chaplin, Buser Keaton, Alfred Jarry.

III) São obras de Samuel Beckett: A Cantora Careca, As Cadeiras, O rinoceronte, A Lição.

IV) São obras de Eugene Ionesco: Esperando Godot, Fim de Jogo, Última Gravação de Krapp, Dias Felizes, Não Eu.

Assinale a alternativa que apresenta somente as afirmativas CORRETAS:

  • A. I, II, IV
  • B. I, II, III
  • C. III, IV
  • D. II, IV
  • E. I, II
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Sobre o Teatro Antigo Greco-romano pode-se afirmar que:

I) Na tragédia Édipo Rei, de Sófocles, Édipo assassina o pai e se casa com a própria mãe, realizando a maldição que recaíra sobre ele.

II) Em Antígona, de Sófocles, ao lutar pelas honras fúnebres do irmão Polinices, Antígona desafia o rei Creontes e é emparedada viva.

III) Os Persas, de Ésquilo, retrata o desespero de Atossa, mãe de Xerxes, rei derrotado da Pérsia. Em suas oferendas e com a ajuda de um coro de anciãos, ela roga aos deuses, invocando o falecido marido Dario.

IV) Em Medeia de Ésquilo, Medeia mata os filhos para vingar-se de Jasão, que a abandonou.

Assinale a alternativa que apresenta somente as afirmativas CORRETAS:

  • A. I, II, IV
  • B. I, II, III
  • C. III, IV
  • D. II, IV
  • E. I, II
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:
Um diálogo possível com a cultura afro é a máscara. Sabemos que ela não existe unicamente na África e, já que constitui uma categoria universal, a máscara pode ser um ponto de conexão forte da arte contemporânea do Brasil com as culturas africanas e afro-brasileiras. Diante disso, todas as afirmativas abaixo estão corretas, EXCETO:
  • A. A conexão forte da arte contemporânea do Brasil com as culturas africanas e afro-brasileiras nos permite chegar à obra de Lígia Clark, Mario Cravo Junior e Laura Lins.
  • B. É possível fazer uma aproximação com a obra “Cabeça coletiva”, de Lígia Clark, de 1975 – uma peça de madeira estruturada com materiais diversos, a qual as pessoas vestem, cobrindo toda a cabeça – com a cerimônia de Bori (Dar comida à cabeça) realizada no candomblé, na qual a cabeça da pessoa é alimentada.
  • C. As “Máscaras Sensoriais”, de 1960, feitas em tecidos e com sacos de rede de naylon também podem ser vinculadas aos rituais dos ebós.
  • D. A obra Capuzes (Homen carnemulher = carnes, 2001), de Laura Linse, e também as “Aves enfeitadas”, podem ser atributos exigidos para cultos, mas mantendo o pertencimento cultural e artístico.
  • E. Chico Tibibuia em sua escultura intitulada “Exus”, em madeira, de 1995, nos diz de sua relação ambígua com essa entidade poderosa. Suas próprias palavras, “Tenho exu na cabeça e Deus no coração”, nos apresentam vivências e tensões contemporâneas.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:
Todos os artistas citados abaixo transitam no circuito religioso e artístico, uns mais outros menos, EXCETO:
  • A. Agnaldo dos Santos
  • B. Jorge Rodrigues
  • C. Claudio Nfé
  • D. Mônica Sjoo
  • E. José Adário dos Santos
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:
A trajetória e a produção artística do mestre Didi anunciam possibilidades de trânsito entre os universos religioso e artístico. Todas as alternativas estão corretas, EXCETO:
  • A. As obras do mestre Didi atestam total possibilidade de preservação de valores aprendidos no terreiro e voltados à religião.
  • B. As obras do mestre Didi têm sentido artístico e religioso dentro e fora do terreiro.
  • C. O trabalho do mestre Didi, em especial a exposição “Magicien de la Terra” realizada no centro Georges Pompiden, em Paris, e mostras realizadas pela fundação bienal e pelo museu de arte moderna em São Paulo reafirmam o diálogo entre o sacerdote e o artista.
  • D. Ao apresentar suas obras em exposição de arte e cultura em museus, centros culturais e galerias de arte, mestre Didi profana os símbolos religiosos, e suas obras perdem a carga simbólica e religiosa.
  • E. As obras do mestre Didi transitam entre os circuitos religiosos e artísticos, sem concessões, mantendo os atributos exigidos para o culto, mas mantendo o pertencimento cultural e artístico.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão: