Sintaxe: saiba o que é e as regras gramaticais

Série Dicas

Sintaxe é a parte da gramática que estuda a disposição das palavras na frase e a das frases no discurso, bem como a relação lógica das frases entre si. Saiba mais no artigo abaixo.

Sintaxe

O que é sintaxe?

Sintaxe é a parte da gramática que estuda a disposição das palavras nos períodos, bem como a relação lógica entre elas. Ela é o conjunto das regras que determinam as diferentes possibilidades de associação das palavras da língua para a formação de frases, orações e períodos. 

Como se pronuncia sintaxe?

Sinta[ss]e é a pronúncia tradicional e a que é geralmente recomendada na lexicografia. Então o som é de [ss], assim como em aproximar, máximo e próximo.

O que é frase, oração e período?

  • Frase: qualquer enunciado que transmita uma ideia com sentido. A frase não tem verbo.
  • Oração: frase com sentido e que tem verbo. É todo e qualquer enunciado que se organiza em torno de um verbo.
  • Período: conjunto de orações.

Exemplos:

O menino bonito = Frase

O menino bonito chegou = Oração

    •  Período simples: enunciado que tem apenas uma oração e é finalizado por um sinal de pontuação.  Exemplos:
      • João é muito agitado.
      • Ana lê muito.
    •  Período composto: enunciado tem duas ou mais orações e é finalizado por um sinal de pontuação.  Exemplos:
      • Beto correu, brincou e sorriu.
      • Ana gosta de maquiagem e ama viajar.

O que é função sintática?

Na oração, cada termo tem a sua função, que é determinada a partir de uma análise sintática dos termos. O objetivo é entender o papel que cada termo desempenha dentro do período e como modifica o sentido da ideia apresentada.

Elementos da função sintática:

  • Sujeito
  • Predicado
  • Predicativo
  • Objetos
  • Complemento nominal
  • Agente da passiva
  • Adjunto adnominal
  • Adjunto adverbial
  • Vocativo
  • Aposto

O que é análise sintática?

A análise sintática é responsável pelo estudo da função e ligação de cada elemento que faz parte de um período, entendendo o seu papel na oração.

Divisões da análise sintática: sintaxe

Sujeito

O sujeito pode ser classificado como:

  • Inexistente:
    • Fenômenos da natureza: Esfriou muito hoje/ Esquentou muito hoje.
    • Verbo haver no sentido de:
      • Existir: Há muitas pessoas na loja.
      • Ocorrer: Houve mudanças globais.
      • Acontecer: Haverá mudanças mais cedo do que você imagina.
  • Indeterminado: Falaram que você seria aprovado.
  • Oculto: (eu) Acordei tarde hoje.

E ainda a depender da quantidade de núcleos que possui, como:

  • Simples: 1 núcleo. Exemplo: Cenas incríveis aconteceram.
  • Composto: João e Júlia foram ao cinema.

 

Predicado

É tudo aquilo que não é sujeito.

Exemplo: O menino acertou todas as questões importantes da prova.

  • Nominal: Verbo Relacional + Predicativo

Exemplo: sintaxe

O concurseiro parecia animado. (verbo de ligação + predicativo do sujeito)

  • Verbal: pode apresentar verbos transitivos, verbos intransitivos e também os verbos de ligação. Ainda é possível encontrar na frase o predicativo do sujeito e o predicativo do objeto.

Exemplos:

Ele gabaritou a prova. (Verbo transitivo direto + predicado verbal)

  • Verbo-Nominal: Verbo nominal = Verbo nocional + Predicativo

Exemplo:

O concurseiro gabaritou a prova animado. (Verbo transitivo direto +predicativo do sujeito)

Complemento verbal

Os complementos verbais têm a importante função de completar o sentido dos verbos transitivos. Os verbos transitivos podem ser classificados em diretos, indiretos e também diretos e indiretos ao mesmo tempo. sintaxe

  • Objeto direto: completa o sentido de um verbo sem preposição.

Exemplos:

João leu uma obra de literatura. (‘leu’= Verbo Transitivo Direto e ‘uma obra de literatura’ é objeto direto)

  • Objeto Indireto: completa o sentido de um verbo com preposição

Ela precisa de ajuda. (‘precisa’= Verbo Transitivo Indireto e ‘de ajuda’ é objeto indireto)

Complemento nominal

O complemento nominal tem a função de completar o sentido de um nome, seja ele um advérbio, substantivo ou adjetivo.

Exemplos:

Houve combate ao tráfico.

Você está apto para a prova.

Agente da passiva

A função do agente da passiva é indicar o executor da ação, em uma voz passiva e sempre seguido de preposição.

Exemplos:

O gol foi feito por Pedro.

Ele foi prejudicado pela Reforma da Previdência.

Adjunto adnominal

O adjunto adnominal tem a função de caracterizar um substantivo, considerado o agente da ação, usando adjetivos, artigos, locuções adjetivas, numerais e pronomes.

Exemplos:

O concurseiro fez aquela prova.

O aluno do professor Leo fez uma prova difícil.

Adjunto adverbial

O adjunto adverbial é utilizado quando há a indicação de uma circunstância envolvendo verbo ou advérbio.

Exemplos:

Na semana passada, estudei por 3 horas.

Eu estudo no meu quarto e passo a maior parte do dia.

Aposto

A função do aposto é explicar um substantivo, ou seja, dar caracterização ao que é apresentado pelo substantivo.

O aposto pode ser:

  • Explicativo: João, o melhor aluno da turma, é aquele ali.
  • Especificativo/ Restritivo: E falei com a professora Fernanda.
  • Enumerativo: Depois de  ser aprovado vou querer um carro, uma casa e uma viagem.
  • Resumitivo: Comprei bolsas, sapatos e roupas, tudo em promoção.
  • Distributivo: Há dois times que são rivais: o Flamengo e o Vasco.

Vocativo

É usado para chamamento ou interpelação ao interlocutor no discurso direto

Exemplos:

Ana, por favor, saia já daí!

Pedro, você realmente está estudando?

Eu não sei, meu amigo, quando será o próximo concurso.

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário abaixo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll Up

{TITLE}

{CONTENT}

{TITLE}

{CONTENT}
Precisa de ajuda? Entre em contato!
0%
Aguarde, enviando solicitação!

Carregando...