Coesão e Coerência Textual – Saiba como interpretar

Série Dicas

A coesão e coerência são mecanismos muito importantes na construção textual. Para que um texto ser considerado eficaz na transmissão de uma mensagem, é essencial que faça sentido para o leitor. Tanto na linguagem culta quanto na coloquial, a mensagem deverá  fluir de forma segura, natural e agradável.

coesão e coerência textual

Coesão e Coerência Textual

O que é coerência textual?

A coerência é o resultado da estrutura do texto que transmitem a lógica correta do pensamento, com produção de sentido possível. coesão e coerência

Exemplo:

Tenho alergia a frutos do mar, mas devo comer?

Certamente, não!
Pela lógica, se tenho alergia, não devo comer.
No texto, a coerência é a utilização de articuladores que mantenham a lógica. A incoerência ocorre quando os mA
coesão é o elearcadores linguísticos geram um resultado diferente do esperado.
Exemplo:

Passei em vários concursos, entretanto sou super inteligente.

O enunciado “passei em vários concursos”  transmite a ideia de esforço, o que leva à conclusão de que não cabe, então, na relação entre esses dois enunciados, a conjunção “entretanto”, por transmitir valor de oposição, contraste. O fato de ser inteligente, não impede que ele estude para concurso.

Tendo em vista manter a coerência nos argumentos, o ideal neste contexto seria a conjunção “portanto”, “logo”, pois transmitiria um resultado esperado. coesão e coerência

Mas se a incoerência for proposital, a intenção do autor é justamente a enfatizar o fato de ser inteligente. Nessa nova forma de avaliar a frase passa, então, a ser coerente.

Logo, a coerência se baseia na lógica, na harmonia dos elementos linguísticos em seu contexto. A incoerência, portanto, será o rompimento dessa lógica.

O que é coesão textual?

A coesão é o elemento que faz as ligações entre as palavras do texto para gerar a harmonia entre os argumentos.

No exemplo anterior, a conjunção “entretanto”, em uma primeira interpretação, traria incoerência. Essa conjunção é o elemento coesivo, e sua utilização gera a coerência ou não nos argumentos, dependendo sempre do contexto. A coerência é, então, o resultado da boa utilização dos elementos de coesão.

Normalmente, a coesão está no  uso das palavras e a coerência está na interpretação dos elementos coesivos no plano do texto, dos argumentos.

São vários os mecanismos de coesão: podem ligar palavras ou orações (coesão sequencial, também chamados de operadores argumentativos), ser elemento de referência a algo expresso anteriormente ou posteriormente (coesão referencial) ou pode repetir o vocábulo por motivo de ênfase ou estilo (coesão recorrencial). coesão e coerência

O que é coesão sequencial?

É o elemento que faz um  resumo de toda a informação transmitida anteriormente (e não somente o trecho imediatamente anterior).

Exemplo:

“Trata-se de petição requerendo a suspensão do processo com base no Tema 987 e das Execuções Fiscais, uma vez que a empresa se encontraria em recuperação judicial. É, em suma, o relatório.”

Logo, percebe-se que a locução adverbial “em suma” resume todo o período anterior.

O que é coesão recorrencial?

Um dos princípios fundamentais da coesão e coerência de um texto é a necessidade de se repetir elementos anteriores. Essas repetições devem ser feitas sob determinadas condições, a fim de não tornar o texto confuso ou monótono. Deve-se evitar a repetição, portanto:

a) Quando há proximidade entre os vocábulos repetidos:

O cachorro era bom. O cachorro correu.

b) Quando os vocábulos são rigorosamente os mesmos, sem qualquer expansão ou redução e sem variação de gênero ou número:

João e Júlia foram ao cinema e compraram pipoca. Para relaxar, João e Júlia compraram pipoca quando foram ao cinema.

c) Quando ocorre em número excessivo:

Sempre estudei para concurso. Concurso é muito difícil, mas ainda considero a melhor opção estudar para concurso. Passar em um concurso é meu sonho.

Em alguns casos especiais, como textos publicitários, a repetição não é vista como deficiência, quando há a intenção, por motivo de ênfase ou estilo:

O celular Inspiron é a melhor opção para o seu dia a dia! Inspiron é inovação. Inspiron é tecnologia!

Se o termo repetido for usado em outro sentido, a repetição não é vista como um problema textual:

Quem com ferro fere, com ferro será ferido.

Em resumo, com intenção, em um tom estilístico, a repetição poderá ser usada na língua culta. coesão e coerência

O que é coesão referencial?

É basicamente mencionar o termo anterior ou posterior com termos equivalentes:

Sinônimos

O concurso da Receita federal exige muito esforço e disciplina. Para o certame, recomenta-se estudar no mínimo oito horas por dia.

Nesse caso,  a palavra “certame” é sinônimo contextual de “concurso”. Assim, o texto fica mais claro e elegante, seguindo os padrões da norma culta.

Outro exemplo:

(CESPE / MPU Técnico – 2015)

Fragmento do texto: Corroborando a visão do MPF, o TRF2 entendeu que a veiculação de vídeos potencialmente ofensivos e fomentadores do ódio, da discriminação e da intolerância contra religiões de matrizes africanas não corresponde ao legítimo exercício do direito à liberdade de expressão.

Altera-se totalmente a informação original do período ao se substituir a palavra “Corroborando” (linha 1) por Confirmando.

Pode-se perceber que o verbo “Corroborando” tem o mesmo sentido de “Confirmando”. A questão afirmou que a substituição alteraria totalmente a informação original do período, logo, está errada. A troca preserva o sentido original do texto.

Hipônimos e hiperônimos

Hiperônimo é a palavra que apresenta um significado mais abrangente. O prefixo “hiper” passa a noção de generalização. O hipônimo, por sua vez, especifica o sentido. O prefixo “hipo” transmite o valor de especificação.

Exemplos:

Verduras (sentido mais geral) é hiperônimo de alface (sentido mais específico).
Frutas (sentido mais geral) é hiperônimo de morango (sentido mais específico).
Por associação, hipônimos são palavras que se relacionam pelo sentido dentro de um conjunto, ligando-se por afinidade.
Muitas vezes um pode substituir o outro para se evitar a repetição viciosa. Exemplos:

Amo fruta, melancia é minha preferida.

A palavra “fruta” é um hiperônimo da palavra “melancia” e foi utilizado para evitar a repetição do substantivo.

Pronomes na coesão textual

Os pronomes são elementos de coesão por princípio, pois retomam (recurso anafórico) ou projetam elementos (recurso catafórico) no texto.

Exemplo:

João estudou muito para a prova de concurso. Ele acorda todos os dias cedo e mantém sua rotina de estudos com muito compromisso.

Na frase, o termo “ele” retoma a palavra “João” e “sua” também, deixando o texto mais fluido e de acordo com a linguagem culta.

Pronomes demonstrativos

Os pronomes demonstrativos são divididos em anafórico e catafórico, os quais trabalham a coesão referencial, por retomar palavra ou expressão dita anteriormente e fazer referência a termo posterior, respectivamente.

Os pronomes demonstrativos são este, esta, isto; esse, essa, isso; aquele, aquela, aquilo; tal; semelhante; próprio; mesmo; o; a. Os pronomes isto, isso, aquilo são invariáveis.

Exemplos:

O concurso é o mais difícil dos últimos anos. O edital do mesmo tem mais de 15 matérias!

Ana está estudando muito, provavelmente fará um bom certame. Este é um dos mais complicados dos últimos anos.

A prova precisa de muito conhecimento. Isso posto, vamos começar a estudar!

Coesão referencial com o pronome relativo “que”

O pronome “que” inicia uma oração subordinada adjetiva e serve para retomar um substantivo anterior.

Exemplo:

João é o professor que ensina matemática.

O pronome relativo “que” retoma o substantivo “João”. Assim, ao vermos “que”, entendemos “João”, logo: “João ensina matemática”.

Coesão referencial com advérbios ou locuções verbais

Os advérbios e locuções adverbiais também podem posicionar o lugar ou tempo de um termo discurso, como recurso anafórico ou catafórico:
Vou passar na Receita Federal; é o melhor lugar para trabalhar!

Venha na minha casa  e descanse aqui! coesão e coerência

Elemento de coesão por omissão (elipse)

Elipse é a omissão de um vocábulo, mas ele fica subtendido.

Exemplo:

João estudou para prova. Ficou muito nervoso no dia do teste.
O concurso é muito importante para ele. Ainda bem que foi bem.

Antes do verbo “ficou” subentende-se “João”, então a coesão é por omissão.

No segundo exemplo, subtende-se que ele foi bem (no concurso). coesão e coerência

Elementos Sequenciadores

Os elementos sequenciadores ou  são basicamente as conjunções coordenadas e subordinadas adverbiais. Saiba mais sobre esses elementos na sintaxe aqui.
Essas conjunções ligam orações, frases, parágrafos, com determinado valor semântico de:

  • Prioridade, relevância: em primeiro lugar, antes de tudo, antes de mais nada, primeiramente
  • Tempo: antes, finalmente, enfim, por fim, atualmente, logo após, ao mesmo tempo, enquanto isso, frequentemente, eventualmente.
  • Semelhança/comparação: igualmente, da mesma forma, analogamente, por analogia, de acordo com, sob o mesmo ponto de vista , assim também.
  • Adição, continuação: além disso, outrossim, por outro lado, ainda mais, ademais.
  • Dúvida, hipótese: provavelmente, é provável que, possivelmente, não é certo que, se é que.
  • Certeza/ênfase: decerto, com certeza, sem dúvida, inegavelmente, certamente.
  • Ilustração/esclarecimento: por exemplo, em outras palavras, a saber, quer dizer, isto é, ou seja.
  • Propósito, intenção, finalidade: com o fim de, com a finalidade de, a fim de, para que, intencionalmente.
  • Resumo, recapitulação: em suma, em síntese, em conclusão, em resumo, enfim, portanto.
    Lugar: perto de, longe de, mais adiante, junto a, além de, próximo a.
  • Causa e consequência: por isso, por consequência, assim, em virtude de, em razão de, como resultado, de fato, com efeito, por conseguinte.
  • Contraste, oposição: pelo contrário, em contraste com, exceto por, por outro lado.

Alguns exemplos:

João estudou português, matemática, raciocínio lógico, em suma, está bem preparado para a prova.

Ana é uma aluna aplicada, porém ainda tem de estudar mais para passar em uma prova.

Certamente ele passará no concurso. É um ótimo aluno!

coesão e coerência


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll Up

{TITLE}

{CONTENT}

{TITLE}

{CONTENT}
Precisa de ajuda? Entre em contato!
0%
Aguarde, enviando solicitação!

Carregando...

Leia o post anterior:
Regência Nominal!
Regência Nominal: Saiba todas as regras

Regência nominal é a relação existente entre um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio) e os termos regidos por esse nome. A...

Fechar