Questões de História do ENEM

Selecione questões do ENEM nos filtros abaixo

História - - INEP - 2019 - ENEM - Provas: Vestibular - PPL Vestibular - 2° Dia - PPL

Quando se trata de competência nas construções e nas artes, os atenienses acreditam que poucos sejam capazes de dar conselhos. Quando, ao contrário, se trata de uma deliberação política, toleram que qualquer um fale, de outro modo não existiria a cidade. BOBBIO, N. Teoria geral da política. Rio de Janeiro: Elsevier, 2000 (adaptado).
De acordo com o texto, a atuação política dos cidadãos atenienses na Antiguidade Clássica tinha como característica fundamental o(a)
    A) dedicação altruísta em ações coletivas.
    B) participação direta em fóruns decisórios.
    C) ativismo humanista em debates públicos.
    D) discurso formalista em espaços acadêmicos.
    E) representação igualitária em instâncias parlamentares.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

História - - INEP - 2019 - ENEM - Provas: Vestibular - PPL Vestibular - 2° Dia - PPL

É amplamente conhecida a grande diversidade gastronômica da espécie humana. Frequentemente, essa diversidade é utilizada para classificações depreciativas. Assim, no início do século, os americanos denominavam os franceses de “comedores de rãs”. Os índios kaapor discriminam os timbiras chamando-os pejorativamente de “comedores de cobra”. E a palavra potiguara pode significar realmente “comedores de camarão”. As pessoas não se chocam apenas porque as outras comem coisas variadas, mas também pela maneira que agem à mesa. Como utilizamos garfos, surpreendemo-nos com o uso dos palitos pelos japoneses e das mãos por certos segmentos de nossa sociedade. LARAIA, R. Cultura: um conceito antropológico. São Paulo: Jorge Zahar, 2001 (adaptado).
O processo de estranhamento citado, com base em um conjunto de representações que grupos ou indivíduos formam sobre outros, tem como causa o(a)
    A) reconhecimento mútuo entre povos.
    B) etnocentrismo recorrente entre populações.
    C) comportamento hostil em zonas de conflito.
    D) constatação de agressividade no estado de natureza.
    E) transmutação de valores no contexto da modernidade.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

História - - INEP - 2019 - ENEM - Provas: Vestibular - PPL Vestibular - 2° Dia - PPL

A Regência iria enfrentar uma série de rebeliões nas províncias, marcadas pela reação das elites locais contra o centralismo monárquico levado a efeito pelos interesses dos setores ligados ao café da Corte, como a Cabanagem, no Pará, a Balaiada, no Maranhão, e a Sabinada, na Bahia. Mas, de todas elas, a Revolução Farroupilha era aquela que mais preocuparia, não só pela sua longa duração como pela sua situação fronteiriça da província do Rio Grande, tradicionalmente a garantidora dos limites e dos interesses antes lusitanos e agora nacionais do Prata. PESAVENTO, S. J. Farrapos com a faca na bota. In: FIGUEIREDO, L. História do Brasil para ocupados. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2013.
A característica regional que levou uma das revoltas citadas a ser mais preocupante para o governo central era a
    A) autonomia bélica local.
    B) coesão ideológica radical.
    C) liderança política situacionista.
    D) produção econômica exportadora.
    E) localização geográfica estratégica.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

História - - INEP - 2019 - ENEM - Provas: Vestibular - PPL Vestibular - 2° Dia - PPL

Uns viam na abdicação uma verdadeira revolução, sonhando com um governo de conteúdo republicano; outros exigiam o respeito à Constituição, esperando alcançar, assim, a consolidação da Monarquia. Para alguns, somente uma Monarquia centralizada seria capaz de preservar a integridade territorial do Brasil; outros permaneciam ardorosos defensores de uma organização federativa, à semelhança da jovem República norte-americana. Havia aqueles que imaginavam que somente um Poder Executivo forte seria capaz de garantir e preservar a ordem vigente; assim como havia os que eram favoráveis à atribuição de amplas prerrogativas à Câmara dos Deputados, por entenderem que somente ali estariam representados os interesses das diversas províncias e regiões do Império. MATTOS, I. R.; GONÇALVES, M. A. O Império da boa sociedade: a consolidação do Estado imperial brasileiro. São Paulo: Atual, 1991 (adaptado).
O cenário descrito revela a seguinte característica política do período regencial:
    A) Instalação do regime parlamentar.
    B) Realização de consultas populares.
    C) Indefinição das bases institucionais.
    D) Limitação das instâncias legislativas.
    E) Radicalização das disputas eleitorais.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

História - - INEP - 2019 - ENEM - Provas: Vestibular - PPL Vestibular - 2° Dia - PPL

O conhecimento é sempre aproximado, falível e, por isso mesmo, suscetível de contínuas correções. Uma justificação pode parecer boa, num certo momento, até aparecer um conhecimento melhor. O que define a ciência não será então a ilusória obtenção de verdades definitivas. Ela será antes definível pela prevalência da utilização, por parte dos seus praticantes, de instrumentalidades que o campo científico forjou e tornou disponíveis. Ou seja, cada progressão no conhecimento que mostre o caráter errôneo ou insuficiente de conhecimentos anteriores não remete estes últimos para as trevas exteriores da não ciência, mas apenas para o estágio de conhecimentos científicos historicamente ultrapassados. ALMEIDA, J. F. Velhos e novos aspectos da epistemologia das ciências sociais. Sociologia: problemas e práticas, n. 55, 2007 (adaptado).
O texto desmistifica uma visão do senso comum segundo a qual a ciência consiste no(a)
    A) conjunto de teorias imutáveis.
    B) consenso de áreas diferentes.
    C) coexistência de teses antagônicas.
    D) avanço das pesquisas interdisciplinares.
    E) preeminência dos saberes empíricos.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

História - - INEP - 2019 - ENEM - Provas: Vestibular - PPL Vestibular - 2° Dia - PPL

O feminismo teve uma relação direta com o descentramento conceitual do sujeito cartesiano e sociológico. Ele questionou a clássica distinção entre o “dentro” e o “fora”, o “privado” e o “público”. O slogan do feminismo era: “o pessoal é político”. Ele abriu, portanto, para a contestação política, arenas inteiramente novas: a família, a sexualidade, a divisão doméstica do trabalho etc. HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2011 (adaptado).
O movimento descrito no texto contribui para o processo de transformação das relações humanas, na medida em que sua atuação
    A) subverte os direitos de determinadas parcelas da sociedade.
    B) abala a relação da classe dominante com o Estado.
    C) constrói a segregação dos segmentos populares.
    D) limita os mecanismos de inclusão das minorias.
    E) redefine a dinâmica das instituições sociais.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

História - - INEP - 2019 - ENEM - Provas: Vestibular - PPL Vestibular - 2° Dia - PPL

A ausência quase completa de fantasmas na Bíblia deve ter favorecido também a vontade de rejeição dos fantasmas pela cultura cristã. Várias passagens dos Evangelhos manifestam mesmo uma grande reticência com relação a um culto dos mortos: “Deixa os mortos sepultar os mortos”, diz Jesus (Mt 8:21), ou ainda: “Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos” (Mt 22:32). Por certo, numerosos mortos são ressuscitados por Jesus (e, mais tarde, por alguns de seus discípulos), mas tal milagre — o mais notório possível segundo as classificações posteriores dos hagiógrafos medievais — não é assimilável ao retorno de um fantasma. Ele prefigura a própria ressurreição do Cristo três dias depois de sua Paixão. Antecipa também a ressurreição universal dos mortos no fim dos tempos. SCHMITT, J.-C. Os vivos e os mortos na sociedade medieval. São Paulo: Cia. das Letras, 1999.
De acordo com o texto, a representação da morte ganhou novos significados nessa religião para
    A) extinguir as formas de ritualismo funerário.
    B) evitar a expressão de antigas crenças politeístas.
    C) sacramentar a execução do exorcismo de infiéis.
    D) enfraquecer a convicção na existência de demônios.
    E) consagrar as práticas de contato mediúnico transcendental.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

História - - INEP - 2019 - ENEM - Provas: Vestibular - PPL Vestibular - 2° Dia - PPL

O frevo é uma forma de expressão musical, coreográfica e poética, enraizada no Recife e em Olinda, no estado de Pernambuco. O frevo é formado pela grande mescla de gêneros musicais, danças, capoeira e artesanato. É uma das mais ricas expressões da inventividade e capacidade de realização popular na cultura brasileira. Possui a capacidade de promover a criatividade humana e também o respeito à diversidade cultural. No ano de 2012, a Unesco proclamou o frevo como Patrimônio Imaterial da Humanidade. PORTAL BRASIL. Disponível em: www.brasil.gov.br. Acesso em: 10 fev. 2013.
A característica da manifestação cultural descrita que justifica a sua condição de Patrimônio Imaterial da Humanidade é a
    A) conversão dos festejos em produto da elite.
    B) expressão de sentidos construídos coletivamente.
    C) dominação ideológica de um grupo étnico sobre outros.

    D) disseminação turística internacional dos eventos festivos.
    E) identificação de simbologias presentes nos monumentos artísticos.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

História - - INEP - 2019 - ENEM - Provas: Vestibular - PPL Vestibular - 2° Dia - PPL

Tomás de Aquino, filósofo cristão que viveu no século XIII, afirma: a lei é uma regra ou um preceito relativo às nossas ações. Ora, a norma suprema dos atos humanos é a razão. Desse modo, em última análise, a lei está submetida à razão; é apenas uma formulação das exigências racionais. Porém, é mister que ela emane da comunidade, ou de uma pessoa que legitimamente a representa. GILSON, E.; BOEHNER, P. História da filosofia cristã. Petrópolis: Vozes, 1991 (adaptado).
No contexto do século XIII, a visão política do filósofo mencionado retoma o
    A) pensamento idealista de Platão.
    B) conformismo estoico de Sêneca.
    C) ensinamento místico de Pitágoras.
    D) paradigma de vida feliz de Agostinho.
    E) conceito de bem comum de Aristóteles.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

História - - INEP - 2019 - ENEM - Provas: Vestibular - PPL Vestibular - 2° Dia - PPL

Os pesquisadores que trabalham com sociedades indígenas centram sua atenção em documentos do tipo jurídico-administrativo (visitas, testamentos, processos) ou em relações e informes e têm deixado em segundo plano as crônicas. Quando as utilizam, dão maior importância àquelas que foram escritas primeiro e que têm caráter menos teórico e intelectualizado, por acharem que estas podem oferecer informações menos deformadas. Contrariamos esse posicionamento, pois as crônicas são importantes fontes etnográficas, independentemente de serem contemporâneas ao momento da conquista ou de terem sido redigidas em período posterior. O fato de seus autores serem verdadeiros humanistas ou pouco letrados não desvaloriza o conteúdo dessas crônicas. PORTUGAL, A. R. O ayllu andino nas crônicas quinhentistas: um polígrafo na literatura brasileira do século XIX (1885-1897). São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009.
As fontes valorizadas no texto são relevantes para a reconstrução da história das sociedades pré-colombianas porque
    A) sintetizam os ensinamentos da catequese.
    B) enfatizam os esforços de colonização.
    C) tipificam os sítios arqueológicos.
    D) relativizam os registros oficiais.
    E) substituem as narrativas orais.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão: