Por que, porque, por quê e porquê – O uso dos porquês

Por que existe tanta confusão quanto ao uso dos porquês? A resposta pode estar, portanto, na própria particularidade da língua, em ter palavras com grafia tão similar e usos distintos.

Dessa forma, temos 4 palavras que são utilizadas em diferentes contextos.

Cada um dos porquês é utilizado em posições diferentes em frases interrogativas diretas e indiretas, respostas as interrogativas e substantivação.

POR QUE

Estamos diante da palavra utilizada para fazer uma pergunta, mas somente quando essa palavra estiver disposta no início da frase interrogativa, direta ou indireta. Por exemplo:

  1. Por que pensa nisso?
  2. Não sei por que faz isso se sabe que não resolverá nada.

POR QUÊ

Assim, com acento circunflexo, essa palavra deve ser usada quando utilizada no final da frase interrogativa, e somente nesta posição. veja os exemplos abaixo:

  1.  Ana não foi para a aula por quê?
  2. Queremos sair mais, mas por quê?
  3. Parece mal hoje, por quê?

 

PORQUE

Essa palavra é usada exclusivamente para responder as interrogativas, portanto trata-se de uma conjunção explicativa. Por exemplo:

  1. Fiz porque quis.
  2. Estava lá porque iriam fazer o sorteio e eu queria assistir.
  3. Percebi sua felicidade na hora porque estava radiante pela manhã.

 

PORQUÊ

Essa palavra é utilizada, exclusivamente com função de substantivo, normalmente aparece portanto, precedido de artigo o. Vejamos os exemplos:

  1. Não sabia o porquê dessas coisas estarem acontecendo.
  2. Nunca entendi o porquê disso.
  3. O porquê disso precisa ser entendido por todos os envolvidos.

 

Continue sua caminhada de estudos conosco.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *