Questões sobre Geopolítica

O trabalho infantil é um grave problema social brasileiro: crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos de mais da metade dos municípios de todos os estados brasileiros ainda têm de dividir o tempo de sua vida entre a escola e o trabalho. Sobre o trabalho infantil, analise as seguintes considerações.

I. São consequências do trabalho infantil o baixo aproveitamento nos estudos, o abandono escolar e a falta de preparo para o mercado de trabalho, além do crescimento do subemprego.

II. De acordo com a Constituição Brasileira de 1988, menores de 14 anos de idade são proibidos de trabalhar a partir dessa idade, podem fazê-lo na condição de aprendizes, com restrições que não permitem que o trabalho seja noturno, insalubre e realizado em horários e locais que não possibilitem frequência à escola.

III. As políticas de combate ao trabalho infantil estão a cargo do Ministério do Desenvolvimento e Combate à fome (MDS), responsável pelo Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti).

IV. As campanhas de combate o trabalho infantil não focam o combate às quatro piores formas de trabalho infantil: o doméstico, o urbano (praticado nas ruas), o da agricultura, especialmente com o agrotóxico; e o trabalho infantil no lixo.

Estão corretas as afirmativas

  • A. I, II, III e IV.
  • B. I, II e III, apenas.
  • C. I, III e IV, apenas.
  • D. II, III e IV, apenas.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:
Com referência à divisão inter-regional do trabalho e da produção no Brasil, julgue os itens a seguir. A partir da reestruturação produtiva do território brasileiro, imposta pela globalização, três das principais metrópoles nacionais, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, passaram a ter relações de complementariedade e de cooperação: enquanto São Paulo emergiu como potência industrial e o Rio de Janeiro expandiu a sua relevância econômica, Brasília se consolidou como o centro político do território.
  • C. Certo
  • E. Errado
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:
A partir do ano 2000, a América Latina demarcou importante mudança em seu quadro geopolítico, ao construir um cenário que contemplou uma diversidade de correntes ideológicas alternativas e experiências governamentais heterodoxas. Porém, a partir de 2012, esse movimento entrou numa fase de esgotamento, representando uma crise do chamado “ciclo progressista” e o retorno a um “ciclo conservador” na política e na economia. Acerca desse conjunto de transformações, assinale a afirmação verdadeira.
  • A. Na Venezuela, mesmo com uma inflação elevada e com uma crise de escassez de alimentos e de produtos de necessidade básica, o presidente Maduro continua mantendo alta popularidade e o controle sobre o parlamento.
  • B. A vitória do presidente Piñera, no Chile, nas eleições governamentais de 2017, consolida uma virada conservadora do país face à alternativa político-econômica do eixo de centro-esquerda.
  • C. A liderança de Evo Morales se mantém absoluta na Bolívia, sendo o único presidente do “ciclo progressista” da América Latina a ampliar a sua força política até a próxima década.
  • D. Eleito na Argentina para implementar uma política econômica de inspiração neoliberal, o presidente Maurício Macri não realiza mais do que uma continuidade das políticas estatizantes que marcaram os anos do kirchnerismo.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Escreva V ou F conforme seja verdadeiro ou falso o que se afirma a seguir sobre os recentes fatos que simbolizam as mudanças geopolíticas do presente.

( ) Os Estados Unidos continuam sendo a maior potência política e econômica do mundo, pois sua superioridade militar é esmagadora e o país ainda detém o maior produto interno bruto (PIB) do planeta.

( ) O Brexit, isto é, a decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia, é uma vitória dos políticos progressistas e liberais britânicos que nunca aceitaram o projeto de integração regional no qual os países europeus concordam em transferir poderes soberanos das instituições nacionais para um conjunto de instituições supranacionais.

( ) A Rússia, um histórico agente da geopolítica mundial, alterou suas estratégias militares e não mais se coloca como uma potência capaz de interferir nos rumos dos conflitos internacionais.

( ) Com o apoio das grandes potências globais, as manifestações políticas na Síria resultaram em consequências positivas para o país, que viu o conflito histórico entre sírios, curdos e o Estado Islâmico ser encerrado.

Está correta, de cima para baixo, a seguinte sequência:

  • A. V, F, F, F.
  • B. V, V, F, V.
  • C. F, V, V, F.
  • D. F, F, V, V.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Tendo o texto antecedente como referência inicial, julgue (C ou E) os itens a seguir, a respeito do papel geopolítico da Rússia no mundo atual.

As gigantescas reservas de petróleo e gás natural em poder da Rússia sustentam a economia desse país, bem como a expansão de sua influência geopolítica para outras regiões do mundo, como o Oriente Médio e a Europa.
  • C. Certo
  • E. Errado
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Tendo o fragmento de texto anterior como referência inicial, julgue (C ou E) os itens que se seguem, acerca das redes de produção e consumo globais.

O processo desigual de produção de um mundo articulado e fluido é realizado por agentes econômicos e políticos que se utilizam de acordos comerciais e da formação de blocos geoeconômicos para a constituição de redes que transferem mercadorias, bens e serviços entre diversas regiões do planeta. A estratégia dos agentes econômicos no período da globalização pressupõe a mobilidade, entre outros fatores políticos e econômicos de integração produtiva.
  • C. Certo
  • E. Errado
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Mesmo preservando seu lugar de maior economia do mundo, nas últimas décadas, os Estados Unidos da América vêm perdendo seu poder e influência, diante do surgimento de novas potências econômi-cas globais, ancoradas na organização de sistemas produtivos altamente eficientes e produtivos, como é o caso da China. Por outro lado, é bastante perceptível a ampliação do poder de influência de algumas nações como o Japão ou a Alemanha, que passaram por uma rápida recuperação econômica nas décadas que se seguiram ao Pós II Guerra Mundial. Acrescente-se a isso a formação de grandes espaços econômicos, integrando mercados e centros de produção, como a União Europeia, ou o ritmo acelerado de crescimento de algumas economias emergentes, em todo o mundo. Diante disso, as estratégias do governo americano vinham buscando a integração de sua economia aos novos centros dinâmicos da economia global, ao incentivo de novos setores da economia, conec-tados à chamada “nova economia”, ou ainda uma presença mais marcante nos grandes debates glo-bais, envolvendo questões ambientais, novas fontes de energia limpa e renovável e uma nova forma de inserção dos EUA nos espaços multilaterais, como a ONU, a OMC e outros. No entanto, com a eleição de Donald Trump, estamos acompanhando a um verdadeiro desmonte das estratégias anteriores, com consequências ainda imprevisíveis na geopolítica global e no papel hege-mônico exercido pelos Estados Unidos na ordem global.

A seguir estão listadas algumas dessas iniciativas controversas do novo Governo dos Estados Unidos, que vêm sendo indicadas como fatos potencializadores deste novo cenário, EXCETO:

  • A. A adoção de uma estratégia de campanha eleitoral, baseada no slogan “América First”, ou a América em primeiro lugar, que parece indicar uma visão mais voltada para os problemas e as questões internas, em detrimento de uma agenda global, protagonizada pelos EUA.
  • B. A adoção de uma política bastante receptiva à imigração estrangeira, num momento em que se acirram as tensões multiculturais nos EUA.
  • C. A decisão dos EUA de se retirar dos Acordos do Clima e da UNESCO, indicando sua indisposição em participar da discussão de temas ou de se comprometer com compromissos que integram a Agenda Global, promovida pelas grandes organizações multilaterais do mundo.
  • D. A iniciativa de construção do muro com a fronteira mexicana, estabelecendo um acirramento diplomático com um dos países que integram o NAFTA, área de livre comércio que promoveu uma elevada integração econômica e produtiva entre as economias dos dois países, além do Canadá.
  • E. A retirada dos EUA do Acordo Transpacífico, iniciativa que visava integrar a economia dos EUA aos centros mais dinâmicos da economia global na atualidade.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Geografia - Geopolítica - Instituto Quadrix - 2017 - SEE/DF - Professor Substituto

Tendo o texto como referência inicial, julgue os próximos itens.

Os geógrafos Milton Santos e Maria Laura Silveira sugeriram, na década de 1990, uma nova divisão regional do País com base no critério do meio técnico-científico-informacional. Seriam quatro regiões: Amazônia; Nordeste; Centro-Sul; e Região Concentrada.
  • C. Certo
  • E. Errado
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Geografia - Geopolítica - Instituto Quadrix - 2017 - SEE/DF - Professor Substituto

Tendo o texto como referência inicial, julgue os próximos itens.

O desmembramento de Tocantins, formado por áreas anteriormente pertencentes a Goiás, foi definido pela CF, que determinou a manutenção da nova unidade federada na região Centro-Oeste. Lei federal posterior, homologada pelo IBGE, definiu sua mudança para a região Norte.
  • C. Certo
  • E. Errado
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Geografia - Geopolítica - Instituto Quadrix - 2017 - SEE/DF - Professor Substituto

Tendo o texto como referência inicial, julgue os próximos itens.

A divisão do Brasil em complexos regionais (ou geoeconômicos), proposta por Pedro Pinchas Geiger nos anos 1960, não atende ao critério mencionado no último período do texto.
  • C. Certo
  • E. Errado
Clique em uma opção abaixo para responder a questão: