Questões de Filosofia

Conforme o § 261 de “Os Princípios da Filosofia do Direito” Hegel afirma que: “Em face do direito privado e do interesse particular, da família e da sociedade civil, o Estado é, por um lado, necessidade exterior e poder superior (...) por outro lado, é para eles fim imanente (...)”

A partir da compreensão do Estado hegeliano como “realidade em acto da ideia moral objetiva” considere o que se afirma a seguir e assinale com V o que for verdadeiro e com F o que for falso.

( ) Esta relação, sociedade civil–estado, expõe uma antinomia sem solução.

( ) Os interesses da sociedade civil estão resguardados pelo Estado como seu fim imanente.

( ) O Estado impede a efetivação dos interesses da sociedade civil.

( ) O Estado sintetiza, na totalidade, os objetivos particulares da sociedade civil.

Está correta, de cima para baixo, a seguinte sequência:

  • A. F, V, F, V.
  • B. F, F, V, V.
  • C. V, V, F, F.
  • D. V, F, F, V.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Nas reflexões éticas em filosofia, há, pelo menos, duas estratégias, abordadas pelos mais diversos autores, que podem ser consideradas como de suma importância. Uma dessas estratégias discursivas tem a ética kantiana como representante, enquanto a outra tem a ética utilitarista.

Quanto às estratégias discursivas da filosofia nas questões éticas e, em particular, à ética kantiana e à ética utilitarista, julgue os itens seguintes.

Na ética utilitarista, comportamentos como mentir ou assassinar são considerados como essencialmente errados.
  • C. Certo
  • E. Errado
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Atente para a seguinte observação de Adorno: “A lógica formal almejava validade universal para as leis do pensamento. (O homem teve que criar uma harmonia teórica para além da discórdia do real.) Todos os objetos do pensamento são universais mas, é igualmente verdade que o significado supraindividual, a universalidade do conceito não é meramente formal é constituída na inter-relação entre sujeitos (pensantes ou atuantes) e seu mundo.

Atente para o que se diz a seguir e, com base na observação de Adorno, assinale com V o que for verdadeiro e com F o que for falso.

( ) Sob a regra da lógica formal, a noção de conflito entre essência e aparência é prescindível, se não, insignificante.

( ) A lógica formal, não transcende sua própria estrutura, permanece analítica.

( ) Há uma dissociação entre a neutralidade semântica da lógica formal e a necessidade de domínio do aparato tecnocrático.

( ) A compreensão da lógica tecnológica destaca as contradições sociais da realidade estabelecida.

Está correta, de cima para baixo, a seguinte sequência:

  • A. F, V, F, V.
  • B. V, F, F, V.
  • C. F, F, V, V.
  • D. V, V, F, F.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Nas reflexões éticas em filosofia, há, pelo menos, duas estratégias, abordadas pelos mais diversos autores, que podem ser consideradas como de suma importância. Uma dessas estratégias discursivas tem a ética kantiana como representante, enquanto a outra tem a ética utilitarista.

Quanto às estratégias discursivas da filosofia nas questões éticas e, em particular, à ética kantiana e à ética utilitarista, julgue os itens seguintes.

A filosofia de Nietzsche, ao negar a filosofia kantiana em sua totalidade, em particular sua ética, aproxima-se de uma ética de características utilitaristas.
  • C. Certo
  • E. Errado
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Considerando as ações que caracterizam a arte como elemento do sistema hegeliano, como espírito absoluto, analise os seguintes itens:

I. revelar a subversão do contingente por um outro princípio de realidade;

II. incluir a sensibilidade, imaginação e razão, emancipadas da lógica da dominação;

III. considerar a arte vigente como decadência burguesa;

IV. associar-se à representação de uma classe específica.

Corresponde a ação que caracteriza a arte como elemento do sistema hegeliano somente o que consta em

  • A. III e IV.
  • B. I e III.
  • C. I e II.
  • D. II e IV.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Análises filosóficas são classificadas de terapêuticas, ao aspirarem curar o pensamento e a fala de noções metafísicas, de “fantasmas” que embora nem designem nem expliquem, ainda perseguem a mente.

Escreva 1 para os itens que reproduzem o típico pensamento terapêutico, de correção do comportamento filosófico, e 2 para os itens que se referem a comportamentos que necessitariam de tal terapia.

( ) O sensualismo e o materialismo têm força em situação em que o instinto vital e a necessidade material não estão satisfeitos.

( ) Exclusão de conceitos capazes de relacionar tal comportamento à sociedade como um todo.

( ) A apresentação de alternativas consideradas meras especulações, sonhos e fantasias.

( ) Apresentação de elementos que ultrapassem o universo do discurso estabelecido.

Está correta, de cima para baixo, a seguinte sequência:

  • A. 2, 2, 1, 1.
  • B. 1, 1, 2, 2.
  • C. 1, 2, 2, 1.
  • D. 2, 1, 1, 2.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Buscando-se elementos da relação entre pensamento e experiência estética, nos deparamos com a manifestação filosófica do poeta Mallarmé: “a palavra não é a expressão de algo, mas a expressão de sua ausência. A palavra faz desaparecer as coisas e nos impõe o sentimento de uma falta universal e até de sua própria falta”. Considerando os ensinamentos lógicos que o poeta apresenta, analise os seguintes itens:

I. A certeza da verdade imediata das coisas.

II. A universalidade é exposta como um terceiro elemento do discurso.

III. O discurso apresenta dois elementos: uma proposição e sua contraposição.

IV. A máxima “tudo é relativo” encontra um demonstrativo adequado.

Corresponde a ensinamento lógico do poeta o que consta em:

  • A. II e III apenas.
  • B. I, II e IV apenas.
  • C. I, III e IV apenas.
  • D. I, II, III e IV.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Leia o texto a seguir: “Porque enquanto cada homem detiver seu direito de fazer tudo quanto queira, todos os homens se encontrarão numa condição de guerra.” (HOBBES, T. Leviatã. SP: Nova Cultural, 2004. p. 114. Adap-tado)

O pensador inglês Thomas Hobbes acredita que, para evitar a guerra, os homens devem se associar e determinar a autoridade de um poder central (o Estado), capaz de assegurar a paz entre seus mem-bros. Essa autoridade precisa

  • A. construir um ambiente de diálogo.
  • B. garantir os desejos individuais.
  • C. instituir o estado de natureza.
  • D. limitar as liberdades individuais.
  • E. respeitar as decisões comuns.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

No texto acima, Sartre se refere ao primeiro princípio do existencialismo: a existência precede a es-sência.

Segundo esse princípio, somente os seres humanos possuem liberdade, porque são os únicos seres que agem de acordo com um projeto

  • A. de vida boa revelado por Deus.
  • B. definido pela natureza humana.
  • C. determinado pelas circunstâncias.
  • D. existencial determinado pelo destino.
  • E. por eles mesmos concebidos.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Leia o texto a seguir:

“Os Sofistas surgem na Grécia antiga, século V a. C. na passagem da oligarquia para a democracia. São os mestres de retórica e oratória, muitas vezes mestres itinerantes, que percorrem as cidades-estados fornecendo seus ensinamentos, sua técnica, suas habilidades aos cidadãos em geral. Eram relativistas. Sócrates também ensinava nas praças públicas através de perguntas e respostas que despertavam a verdade que está no interior de cada um. Sócrates afirmava que a opinião (doxa) é uma expressão individual, já o conhecimento (episteme) é universal. Desta forma, os sofistas ensina-vam a retórica para convencer aos outros que sua opinião é a melhor e Sócrates ensinava a dialética, que através de questionamentos (só sei que nada sei) levava ao conhecimento verdadeiro” (MAR-CONDES, Danilo. Iniciação à História da Filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004, p. 42-48. Adap-tado).

De acordo com o texto acima, Sócrates não era um sofista, pois ele

  • A. buscava a verdade da episteme, enquanto os sofistas despertavam a verdade dentro de cada um.
  • B. defendia a existência de uma verdade universal, enquanto os sofistas eram relativistas.
  • C. ensinava nas praças públicas apenas de Atenas, enquanto os sofistas eram itinerantes.
  • D. era cético, seu lema era “só sei que nada sei”, enquanto os sofistas defendiam uma verdade.
  • E. persuadia através da retórica de que estava certo, enquanto os sofistas eram dialéticos.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão: