Uma instituição financeira realizou, em fevereiro de 2018...

Uma instituição financeira realizou, em fevereiro de 2018, a renegociação de duas operações de crédito, descritas a seguir.

A operação X, que estava avaliada como nível de risco “F”, em função do atraso, teve seus prazos prorrogados, e o valor total da dívida será pago em doze parcelas mensais e sucessivas, vencendo-se a primeira seis meses após a data da assinatura do aditivo contratual. Não ocorreu amortização parcial da dívida por ocasião da assinatura do aditivo contratual.

A operação Y, que havia sido baixada como prejuízo, foi renegociada mediante assinatura de contrato de composição de dívida. Por ocasião da assinatura do contrato, 60% da dívida foi amortizada imediatamente em dinheiro, e o restante foi repactuado para pagamento em 36 meses, tendo sido acrescido como garantia o aval de uma instituição financeira de primeira linha.

Considerando-se apenas as informações fornecidas e de acordo com o que estabelece o Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional – COSIF, na classificação por nível de risco das operações renegociadas, é correto afirmar que a instituição financeira:

  • A. poderá reclassificar as operações X e Y para um nível de risco inferior ao que estavam inicialmente classificadas, considerando que a partir da data da assinatura dos documentos de renegociação as operações não mais se enquadram na categoria de operações em atraso;
  • B. deverá manter a classificação de risco da operação X no mínimo em “F”, e poderá reclassificar a operação Y para um nível de risco inferior a “H”, considerando que ocorreu uma amortização significativa da operação, além do acréscimo de garantias;
  • C. deverá reclassificar as operações X e Y para um nível de risco inferior ao que estavam inicialmente classificadas, considerando que as classificações em nível de risco “F” e “H” são exclusivas de operações em atraso;
  • D. poderá reclassificar a operação X para um nível de risco inferior a “F”, mas deverá classificar a operação Y como nível de risco “H” por se tratar de operação anteriormente baixada como prejuízo;
  • E. deverá manter a classificação de risco da operação X em “F” e classificar a operação Y como “H”, pois a renegociação de operações não deve representar alteração na categoria de risco.
Clique em uma opção abaixo para responder a questão:

Questões extras

Na concepção de Schellenberg, o processo de agrupamento dos documentos singulares em unidades significativas, e o agrupamento, em relação significativa, de tais unidades entre si configura o que se convencionou chamar, na literatura arquivística brasileira, de

Resolva a questão aqui ›


Acerca de componentes e periféricos dos computadores do tipo PC, julgue os itens subseqüentes.

CHS (cylinder header sector) e LBA (logical block address) são tipos de endereçamento de dados em discos rígidos. O CHS é usado na maioria dos drives SCSI e o LBA nos drives IDE.

Resolva a questão aqui ›


In reference to the content of the text, its vocabulary and syntactic structure, decide whether the following statements are right (C) or wrong (E).

In lines 4, 7 and 9, although with different syntactic functions, the word it refers to the same thing: “the head of an enemy which swung from the rafters” (l. 3 and 4).

Resolva a questão aqui ›