Verbo: o que é? – Saiba tudo sobre a classificação

Série Dicas

Verbo é uma palavra que indica acontecimentos representados no tempo, como uma ação, um estado, um modo, ou ainda um fenômeno. Saiba tudo sobre os verbos no artigo abaixo.

verbo

O que é verbo?

O verbo é a classe de palavras que exprime ação, estado, mudança de estado, fenômeno da natureza. Possui inúmeras flexões, ou seja, a sua conjugação é feita mediante as variações de pessoa, número, tempo, modo, voz.

Qual é estrutura do verbo?

O verbo é formado por três elementos:

Radical

O radical é o portador do sentido, da identidade do verbo.

Exemplos:

  • PACIFIC- (PACIFI-ar)
  • ESCLAREC- (ESCLAR-er),
  • SORR-(SORR-ir)

Vogal Temática

A vogal temática se une ao radical para receber as desinências e, assim, conjugar os verbos. O resultado dessa união chama-se tema.

Então tema é = radical + vogal temática.
Exemplos:

  • PACIFIC- (PACIFI-ar)
  • ESCLAREC- (ESCLAR-er),
  • SORR-(SORR-ir)

A vogal temática indica a qual conjugação o verbo pertence:

1.ª conjugação abrange os verbos cuja vogal temática é A: amar, dançar, sujar.
2.ª conjugação abrange os verbos cuja vogal temática é E e O: escrever, ler, impor.
3.ª conjugação abrange os verbos cuja vogal temática é I: surgir, evoluir, ir.

Desinências

As desinências são os elementos que, junto com o radical, conjugam os verbos. Podem ser:

  • Desinências modo-temporais: indicam os modos e os tempos.
  • Desinências número-pessoais: indicam as pessoas.

Exemplos:

  • Chorávamos (va- desinência de tempo pretérito do modo indicativo), (mos- desinência de 1.ª pessoa do plural);
  • Pensarei (re- desinência de tempo futuro do modo indicativo), (i- desinência de 1.ª pessoa do singular);
  • Suponhamos (a- desinência de modo presente do modo subjuntivo), (mos- desinência de 1.ª pessoa do plural).

Quais são as flexões do verbo?

Os verbos  aceitam diversos tipos de flexões. Para os verbos regulares, as variações  se darão de acordo com a conjugação de cada um, ou seja, da sua terminação:

  • verbos de 1ª conjugação terminam em -ar;
  • verbos de 2ª conjugação terminam em -er;
  • verbos de 3ª conjugação terminam em -ir.

Flexão quanto à pessoa:

  • 1ª pessoa: quem fala;
  • 2ª pessoa: com quem se fala;
  • 3ª pessoa: de quem se fala.

Em outras palavras:

  •  1.ª (eu, nós);
  • 2.ª (tu, vós);
  • 3.ª (ele, eles).

Flexão quanto ao número:

  • Singular (eu, tu, ele);
  • Plural (nós, vós, eles).

Flexão quanto tempo:

  • Presente,
  • Pretérito,
  • Futuro.

O pretérito (passado) e futuro ainda podem se dividir em:

  • pretérito perfeito: indica um fato que aconteceu inteiramente no passado (“Estudei muito para a prova”).  Indica ainda um fato que aconteceu no passado e que vem se prolongando até o presente (“Tenho estudado muito para a prova);
  • pretérito imperfeito: indica algo que acontecia repetidamente no passado (“Eu estudava muito”) ou que aconteceu em relação a outro acontecimento (“Eu estudava quando minha mãe me chamou”);
  • pretérito mais-que-perfeito: indica algo que se passou antes de outro acontecimento, também no passado (“Eu já me cansara quando comecei a estudar”);
  • futuro do presente: indica um acontecimento futuro em relação ao momento da fala (“Vou terminar esse livro um dia”);
  • futuro do pretérito: indica um acontecimento futuro condicionado a uma ação passada (Se você tivesse estudado, passaria na prova”).

Flexão quanto ao modo:

  •  Indicativo,
  • Subjuntivo;
  • Imperativo.

Para entender melhor:

  • indicativo: é o fato certo, preciso, como em “leio todos os dias”;
  • subjuntivo: indica uma dúvida do falante em relação ao fato ou, ainda, uma condição para ele: “Eu leria todos os dias se pudesse”;
  • imperativo: exprime uma ordem ou um pedido, como “Faça silêncio!”

Flexão quanto a voz:

  • voz ativa

Nesse caso o sujeito é agente, ou seja, ele pratica a ação expressa pelo verbo: “Eu li o livro”;

  • voz reflexiva:

Acontece quando o sujeito é, ao mesmo tempo, agente e paciente. Nesse caso, o verbo aparece na voz ativa e é seguido de um pronome oblíquo reflexivo: “Feri-me ao correr”.

  • voz passiva:

Nesse caso, o sujeito é paciente, ou seja, recebe a ação expressa pelo verbo: “O livro foi escrito por mim”;

Quais são os tipos de voz passiva

A voz passiva é subdividida em voz passiva analítica e voz passiva sintética.

Ambas possuem um sujeito paciente, ou seja, um sujeito que sofre ou recebe uma ação. O que difere os dois tipos de voz passiva é estrutura de frase que cada um segue.

Voz passiva analítica

A voz passiva analítica segue a seguinte estrutura:

Exemplo:

Ana foi aprovada.

Ao analisarmos os elementos verbais da frase, vemos que:

  • foi: verbo ser (flexionado na 3ª pessoa do singular do Pretérito Perfeito, do Modo Indicativo);
  • aprovada: particípio passado (do verbo aprovar).

Veja mais algumas frases na voz passiva analítica:

  • O brinquedo foi dado por mim.
  • O livro foi escrito pelo professor.
  • O trabalho será remodelado.

A voz passiva analítica pode apresentar o agente da passiva. Isso não ocorre na voz passiva sintética.

O agente da passiva é o responsável pela execução da ação de um verbo na voz passiva.

Exemplo:

A taça foi quebrada pelo menino.

Na frase acima, “pelo menino” é o agente da passiva.

Voz passiva sintética

A voz passiva sintética, também chamada de voz pronominal, passa uma ideia mais impessoal.

Exemplo:

Vê-se que o objetivo não foi atingido.

Pode-se observar que:

  • -se: partícula com função apassivadora (indica voz passiva; o sujeito sofre/recebe uma ação).
  • : verbo na terceira pessoa (verbo ver; Presente do Indicativo).

Veja mais algumas frases na voz passiva sintética:

  • Vende-se móveis usados.
  • Fala-se muito.
  • Não se vê ele mais.

Observação: Quais são as classificações do “se”?:

Cuidado com o uso do “se”:

  • “Se” partícula apassivadora: tem a função de apassivar o verbo; tornando-o passivo, ou seja, o sujeito sofre/recebe uma ação (voz passiva).
  • “Se” enquanto índice de indeterminação do sujeito: indica que a frase possui um sujeito indeterminado.

O que são as formas nominais do verbo?

São aquelas formas verbais que não têm flexão de tempo e modo. Esses verbos têm função própria de nomes como substantivo, adjetivo e advérbio.

As formas nominais do verbo são:

Infinitivo

O infinito pode ser pessoal e impessoal.

Infinitivo impessoal:

Não se refere a nenhuma pessoa.  Simplesmente manifesta a ação e, dependendo da situação,  pode ter valor de substantivo.

Exemplos:

  • Ana tem um falar estranho!
  • Rir é a melhor forma de gratidão.
  • Chorar é o melhor remédio.

Infinitivo pessoal:

É flexionado, varia em número e pessoa.

Exemplo:

  • Escutei eles andarem devagarinho.

Gerúndio

O gerúndio caracteriza-se pela terminação -ndo. Não é flexionado e pode ser tanto advérbio, como adjetivo.

Exemplos:

  • Estava comendo quando eu cheguei.
  • Sorrindo, chegou.
  • Eles cantando era a melhor coisa.

Particípio

Particípio regular:

Se caracteriza pela terminação -ado, -ido.

Exemplos:

  • Tinha feito o trabalho para ele.
  • Tenho sorrido todos os dias.
  • Ele tinha sido a preferida da diretora.

Particípio irregular:

Pode exercer o papel de adjetivo.

Exemplos:

  • Adoro frango assado!
  • Aqui tudo é feito com cuidado.

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário abaixo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll Up

{TITLE}

{CONTENT}

{TITLE}

{CONTENT}
Precisa de ajuda? Entre em contato!
0%
Aguarde, enviando solicitação!

Carregando...

Leia o post anterior:
pronome
O que é pronome? Saiba todas as regras.

Pronome é a palavra que se usa para substituir um nome (substantivo), ou que a ele se refere, ou ainda,...

Fechar