Questões de Português de Termos da Oração

 /   /   /  Termos da Oração

Pesquise mais Questões de Português de Termos da Oração abaixo,

AOCP - COREN - SC - Administrador - 2013
Português / Termos da Oração

Políticos devem ouvir com mais atenção os cidadãos,

pondera leitor



Leitor Éderson Garin Porto

De Porto Alegre (RS)



1.§ As instituições estatais evoluíram, a sociedade
evoluiu, mas as relações mantidas entre si continuam
praticamente as mesmas. Vivemos uma era em que as
relações interpessoais, assim como as relações entre o
Poder Público e o cidadão cada vez mais desenvolvemse
com o apoio da tecnologia da informação.

2.§ No entanto, em que pese a verificada evolução,
Estado e indivíduo ainda se relacionam como no
medievo, servindo a tecnologia apenas como veículo
para manutenção do mesmo modelo de relacionamento.

3.§ A Constituição de 1988 colocou o cidadão no
centro do ordenamento jurídico e o bem de todos foi
alçado à condição de objetivo fundamental do nosso
país. Se o Estado existe para servir o cidadão e buscar
a realização dos objetivos inscritos no artigo 3° da
Constituição, como explicar que a relação entre Estado e
indivíduo seja vista de uma perspectiva verticalizada, de
cima para baixo, na qual o Estado sujeita o cidadão aos
seus desígnios?

4.§ Dois exemplos ilustram esta relação engessada e
submissa: o calvário do atendimento realizado pelo INSS
(Instituto Nacional de Seguro Social) e as marcações de
consultas pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Em ambos
os casos, a tecnologia antes referida não é utilizada e
quando aplicada serve para manter o modelo de relação
medieval.

5.§ Não obstante o Estado disponha de recursos
tecnológicos e os administradores conheçam os
problemas -- nas eleições todos os candidatos sabem
como resolver estes problemas, diga-se de passagem --,
o ser humano é visto apenas como um número ou, em
linguagem mais moderna, como um byte.

6.§ Não se pode admitir que a evolução tecnológica
experimentada pela sociedade não seja capaz de aplacar
com a espera dos brasileiros por perícia médica para
receber benefícios da previdência, assim como não se
pode conceber que os hospitais e postos de saúde não
consigam gerir, com o uso da tecnologia, as demandas
por tratamento médico.

7.§ Se o homem já é capaz de pilotar um veículo não
tripulado na Lua, se a medicina já dispõe de tecnologia
para operar à distância, não se pode conceber que os
gestores públicos não consigam organizar o atendimento
num posto de saúde. O que se observa no dia a dia é
que os recursos de informática são utilizados para
cultivar a mesma forma de relacionamento feudal. Os
gestores ficam encastelados e distantes da população,
despreocupados em ouvir a população, sujeitando-as às
filas reais ou virtuais.

8.§ Propõe-se, pois, menos bytes e mais humanidade.
Menos formalidades e mais diálogo. Muitos problemas
poderiam ser facilmente resolvidos se o Estado fosse
capaz de ouvir, isto é, se tivesse vontade política e
treinamento para bem atender a população, estabelecer
um diálogo e encaminhar solução aos problemas.

9.§ Por estes motivos é que se espera a construção
de uma relação dialógica (fundada no diálogo) entre
administração e cidadão, em atenção à dignidade
humana, valor fundamental do nosso país.
http://www1.folha.uol.com.br/paineldoleitor/meuolhar/1184352-
politicos-devem-ouvir-com-mais-atencao-os-cidadaos-ponderaleitor.
shtml


A expressão que, no contexto, NÃO funciona sintaticamente como adjunto adverbial de tempo é

a) "ainda" (2.§)
b) "antes" (4.§)
c) "já" (7.§)
d) "no dia a dia" (7.§)
e) "de 1988" (3.§)

FCC - ALE - PB - Assessor Técnico Legislativo - 2013
Português / Termos da Oração

Atenção: Considere o texto abaixo para responder a questão.



Sivuca nasceu numa família de pequenos lavradores e
coureiros. Vivendo na área rural de Itabaiana, na Paraíba, numa
localidade pobre e remota, sem rádio nem eletricidade, o próprio
Sivuca não sabe explicar como a música entrou em sua vida.
Ninguém na família tocava qualquer instrumento. “Eu não sei.
Mas sei que veio firme, porque minha vocação foi mais forte do
que toda e qualquer tendência. Quero dizer, a música veio para
ficar em mim, pronto.”

Suas primeiras memórias musicais vêm dos sanfoneiros
itinerantes que passavam por Itabaiana, de pessoas que tocavam
violão na cidade, da banda de música e do órgão da
igreja. Seu talento era evidente, a ponto de que a própria família
passasse a insistir que tentasse carreira na cidade grande.
Depois de algumas idas e vindas, mudou-se para Recife, foi
contratado pela Rádio Clube de Pernambuco aos 15 anos de
idade, em novembro de 1945, e descobriu um novo horizonte
musical.

Sivuca aprendeu teoria musical com o clarinetista da
Orquestra Sinfônica de Recife e, três anos depois, passou a
estudar harmonia e orquestração com o maestro fluminense
Guerra-Peixe, que então vivia em Recife. Ao longo da vida
profissional, foi incorporando outros instrumentos ao seu arsenal,
como o violão, a guitarra e o piano, numa mistura de
autodidatismo e aprendizado informal com alguns dos melhores
músicos do mundo.

Segundo o músico, “o estudo, o desenvolvimento musical
torna-se necessário. Eu digo isso porque eu também passei
pelo mesmo; fui, por muito tempo, músico sem estudar, naturalmente
levando a sério todas as tendências, mas também me
dando ao trabalho de queimar pestana e estudar teoria musical,
estudar orquestração e, enfim, harmonia, fuga, contraponto, me
preparar para lidar com os ingredientes teoricamente”.

(Adaptado de http://musicosdobrasil.com.br/sivuca. Acesso

em 04/03/2013)


Ninguém na família tocava qualquer instrumento.

O elemento em destaque acima exerce a mesma função sintática que o elemento grifado em:

a) Mas sei que veio firme...
b) Eu não sei.
c) ... o estudo, o desenvolvimento musical torna-se necessário.
d) ... sanfoneiros itinerantes que passavam por Itabaiana...
e) Eu digo isso porque eu também...

AOCP - COREN - SC - Auxiliar Administrativo - 2013
Português / Termos da Oração

“NYT” destaca crescimento populacional na Amazônia

e preocupação ambientalista



1.§ Reportagem do jornal americano “New York
Times” publicada neste domingo revela o surgimento e
o crescimento de diversas cidades em meio à Amazônia,
dizendo que os cientistas estão alarmados com a chegada
de projetos industriais na região.

2.§ O jornal diz que a expansão dessas cidades é
evidente em locais como Parauapebas, que, em uma
geração, evoluiu de uma pequena colônia marcada por
conflitos de mineiros para uma cidade com shopping e
concessionária da Chevrolet.

3.§ Embora a ditadura militar tenha construído
estradas no intuito de ocupar a Amazônia e defendê-la
dos estrangeiros, o desmatamento que o crescimento
populacional tem causado na região preocupa cientistas.

4.§ Alguns pesquisadores dizem que o êxodo rural
em países tropicais como o Brasil na verdade ajuda a
diminuir o desmatamento, já que algumas áreas rurais se
conservam por ter uma diminuição populacional, o que
ajuda no reflorestamento.

5.§ Porém, a maior parte dos cientistas discorda
dessa visão. Eles dizem que a migração aumenta o
desmatamento porque dá espaço para que pecuaristas,
que já são responsáveis por reduzir em boa parte as áreas
florestais, comprem terras de pequenos agricultores e
expandam seus negócios.

6.§ Das 19 cidades brasileiras que dobraram seu
número de habitantes na última década, dez se encontram
na região amazônica, de acordo com o último censo.
Manaus, capital do Estado do Amazonas, cresceu 22%
em população entre 2000 e 2010.

7.§ O jornal diz que aproximadamente 25 milhões
de pessoas vivem atualmente na Amazônia. Enquanto
o Brasil no geral cresceu 12% nos últimos dez anos, na
região o salto foi de 23%.

8.§ O “New York Times” diz que o crescimento se
deveu ao aumento das famílias e à pobreza local, que
leva pessoas a deixarem o campo e se mudar para essas
cidades em busca de trabalho. Mas a razão principal é a
expansão econômica.

9.§ Incentivos fiscais para a indústria de manufatura
promoveram crescimento populacional em Manaus e
nas cidades vizinhas. Já cidades como Sinop, no Mato
Grosso, cresceram cerca de 50% graças à expansão
da soja. Construções de grandes hidrelétricas também
impulsionaram os dados habitacionais na Amazônia.
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1191018-nyt-destacacrescimento-
populacional-na-amazonia-e-preocupacaoambientalista.
shtml


"Eles dizem que a migração aumenta o desmatamento porque dá espaço para que pecuaristas, que já são responsáveis por reduzir em boa parte as áreas florestais, comprem terras de pequenos agricultores e expandam seus negócios." (5.§)

A expressão destacada funciona como complemento do

a) nome "responsáveis".
b) verbo de ligação são".
c) verbo "reduzir".
d) nome "pecuaristas".
e) nome "áreas".

AOCP - COREN - SC - Auxiliar Administrativo - 2013
Português / Termos da Oração

“NYT” destaca crescimento populacional na Amazônia

e preocupação ambientalista



1.§ Reportagem do jornal americano “New York
Times” publicada neste domingo revela o surgimento e
o crescimento de diversas cidades em meio à Amazônia,
dizendo que os cientistas estão alarmados com a chegada
de projetos industriais na região.

2.§ O jornal diz que a expansão dessas cidades é
evidente em locais como Parauapebas, que, em uma
geração, evoluiu de uma pequena colônia marcada por
conflitos de mineiros para uma cidade com shopping e
concessionária da Chevrolet.

3.§ Embora a ditadura militar tenha construído
estradas no intuito de ocupar a Amazônia e defendê-la
dos estrangeiros, o desmatamento que o crescimento
populacional tem causado na região preocupa cientistas.

4.§ Alguns pesquisadores dizem que o êxodo rural
em países tropicais como o Brasil na verdade ajuda a
diminuir o desmatamento, já que algumas áreas rurais se
conservam por ter uma diminuição populacional, o que
ajuda no reflorestamento.

5.§ Porém, a maior parte dos cientistas discorda
dessa visão. Eles dizem que a migração aumenta o
desmatamento porque dá espaço para que pecuaristas,
que já são responsáveis por reduzir em boa parte as áreas
florestais, comprem terras de pequenos agricultores e
expandam seus negócios.

6.§ Das 19 cidades brasileiras que dobraram seu
número de habitantes na última década, dez se encontram
na região amazônica, de acordo com o último censo.
Manaus, capital do Estado do Amazonas, cresceu 22%
em população entre 2000 e 2010.

7.§ O jornal diz que aproximadamente 25 milhões
de pessoas vivem atualmente na Amazônia. Enquanto
o Brasil no geral cresceu 12% nos últimos dez anos, na
região o salto foi de 23%.

8.§ O “New York Times” diz que o crescimento se
deveu ao aumento das famílias e à pobreza local, que
leva pessoas a deixarem o campo e se mudar para essas
cidades em busca de trabalho. Mas a razão principal é a
expansão econômica.

9.§ Incentivos fiscais para a indústria de manufatura
promoveram crescimento populacional em Manaus e
nas cidades vizinhas. Já cidades como Sinop, no Mato
Grosso, cresceram cerca de 50% graças à expansão
da soja. Construções de grandes hidrelétricas também
impulsionaram os dados habitacionais na Amazônia.
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1191018-nyt-destacacrescimento-
populacional-na-amazonia-e-preocupacaoambientalista.
shtml


"O "New York Times" diz que o crescimento se deveu ao aumento das famílias e à pobreza local, que leva pessoas a deixarem o campo e se mudar para essas cidades em busca de trabalho." (8.§) A expressão "à pobreza local" funciona como complemento

a) do nome substantivo "aumento".
b) do adjetivo "local".
c) da forma verbal "dever-se".
d) do nome substantivo "famílias".
e) da forma verbal "diz".

CESPE - TRE - MS - Técnico Judiciário - Administrativo - 2013
Português / Termos da Oração

A soberania popular pode ser exercida, juridicamente,
por meio de três modelos: democracia participativa ou direta,
democracia representativa ou indireta e democracia semidireta.
Na democracia direta, o povo participa diretamente da vida
política do Estado, exercendo os poderes governamentais,
fazendo leis, administrando e julgando. É, pois, aquela em que
o povo exerce de modo imediato as funções públicas. Na
democracia indireta ou representativa, o povo não exerce seu
poder de modo imediato, mas por meio de seus representantes,
eleitos periodicamente, a quem são delegadas as funções de
governo. A democracia representativa pressupõe um conjunto
de instituições que disciplinam a participação popular no
processo político, que formam os direitos políticos que
qualificam a cidadania, como, por exemplo, as eleições, o
sistema eleitoral, os partidos políticos; enfim, mecanismos
disciplinadores para a escolha dos representantes do povo. Na
democracia semidireta, são assegurados instrumentos de
participação direta do povo nas funções de governo. Esses
instrumentos de participação dão ao povo, conservadas,
embora em parte, as formas representativas, a palavra final
relativa a todo o ato governativo. Como exemplo desses
instrumentos, podem ser citados o referendo e o plebiscito.

Internet: (com adaptações).



O sujeito da oração cujo núcleo do predicado é a forma verbal "formam" (L. 13 ) é

a) a expressão "os direitos políticos" (L. 13 ).
b) o pronome "que" imediatamente antecedente.
c) oculto.
d) indeterminado.
e) a expressão "um conjunto de instituições" (L. 11-12 ).

CETRO - CREF - SP - Procurador - 2013
Português / Termos da Oração

Leia a notícia abaixo para responder a questão.


Família de Kevin deve receber parte de bilheteria do Corinthians

Lucas Reis, de São Paulo.



A família do garoto Kevin Espada, 14, morto por um
sinalizador atirado por torcedores corintianos em Oruro, na
Bolívia, deve receber parte da bilheteria de um dos próximos
jogos do Corinthians, seja da Libertadores, seja do Campeonato
Paulista ou até mesmo um amistoso.

A informação obtida pela Folhafoi confirmada nesta
segunda-feira pelo próprio clube. A ideia foi sugerida na última
sexta-feira durante uma reunião entre os cartolas alvinegros.

O Corinthians informou que pretende encontrar uma
solução para o caso até o fim da próxima semana,
independentemente do julgamento da Conmebol, que deve
ocorrer em até três dias.



A família de Kevin

Uma das possibilidades é que o jogo contra o Tijuana, na
semana que vem, no Pacaembu, seja o escolhido. Caso a
decisão da Conmebol demore, ou seja desfavorável e o estádio
continue com portões fechados, uma partida do Estadual será
escolhida.

A ideia, segundo o Corinthians, não consta da defesa
jurídica enviada à Conmebol na semana passada. O clube
também não decidiu ainda o percentual da renda bruta ou
líquida que será repassado.

A iniciativa de indenizar os parentes de Kevin, segundo
apurou a reportagem, engloba uma investida para suavizar a
imagem corintiana, arranhada internacionalmente após o
fatídico episódio.

Dentro do clube, há quem defenda que o Corinthians teve
uma atitude jurídica perfeita, mas atabalhoada em relação à
atitude e imagem.

Em Oruro, a Folhaapurou que parentes de Kevin não
concordaram com a atitude dos seus pais, que optaram por não
entrar com ação pedindo uma indenização ao Corinthians.
Limbert e Carola, os pais de Kevin, justificaram que não
queriam ser acusados de utilizar o filho com fins mercantilistas.

“Ninguém [San José ou Corinthians] entrou em contato
para dizer que se importa com o que aconteceu”, disse Limbert,
há uma semana.

Luiz Felipe Santoro, advogado do clube, aguarda que a
Conmebol julgue o clube até sexta -- o que viabilizaria a entrada
da torcida no próximo jogo em casa, contra o Tijuana, na
semana que vem. “Estou otimista, confio na argumentação
jurídica do clube”, disse o advogado.

Fonte: Colaborou Eduardo Ohata, de São Paulo.

http://www.folhaonline.com.br/.


De acordo com a norma-padrão da Língua Portuguesa e em relação à sintaxe, assinale a alternativa cujo sujeito apresenta a mesma classificação que o sujeito destacado no período abaixo.

Ninguém entrou em contato com a família de Kevin.

a) Encontraram os culpados pelo atentado.
b) O pai e a mãe do garoto estavam muito abatidos.
c) Choveu muito em São Paulo.
d) O clube teve uma atitude jurídica perfeita.
e) Vive-se solitariamente nas grandes cidades.

CESPE - TRT 10ª - Técnico Judiciário - Administrativa - 2013
Português / Termos da Oração

O Tribunal Regional do Trabalho da 10.ª Região
(TRT), após autorização da presidenta, efetuou a doação de
diversos equipamentos, chamados de “passíveis de
desfazimento”, a duas entidades: Creche Magia dos Sonhos e
Associação dos Deficientes de Brasília, consideradas pela
administração do tribunal como legalmente aptas a receber os
bens.

A medida é de grande importância porque
equipamentos considerados obsoletos ou de baixo rendimento
para o TRT — como impressoras, teclados e computadores —
podem ser muito úteis para instituições voltadas ao trabalho
social, que não teriam como obtê-los a não ser pela via da
doação.

Esse ato integra o rol de ações relacionadas à
responsabilidade social do tribunal, intensificado a cada gestão.

Internet: (com adaptações).


Em relação às ideias e estruturas linguísticas do texto acima, julgue os itens a seguir.

O termo "A medida" (R.8) consiste em elemento coesivo que retoma as informações do trecho "consideradas pela administração do tribunal como legalmente aptas a receber os bens" (R.5-7).

FGV - TJ - AM - Assistente Judiciário - Assistente Técnico Judiciá - 2013
Português / Termos da Oração

Derrota da Censura



A decisão da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara
de aprovar em caráter conclusivo o projeto que autoriza a
divulgação de imagens, escritos e informações biográficas de
pessoas públicas pode ser um marco na história da liberdade de
expressão no país.

Até agora, o Brasil vem caminhando no obscurantismo no
tocante à publicação ou filmagem de biografias. O artigo 20 do
Código Civil bate de frente com a Constituição, que veta a
censura. Só informações avalizadas pelo biografado ou pela sua
família podem ser mostradas. É o império da chapa branca,
cravado numa sociedade que caminha para o pluralismo, a
transparência, a troca de opiniões.

O brasileiro vê estupefato uma biografia de Roberto Carlos
sendo recolhida e queimada; biografias de Guimarães Rosa e Raul
Seixas sendo proibidas de circular; inúmeros filmes vetados por
famílias que se julgam no direito de determinar o que pode ou
não pode ser dito sobre qualquer pessoa. Exatamente o que os
generais acreditavam poder fazer em relação a jornais, rádios e
televisão.

[....] O projeto aprovado na CCJ abre caminho para que a
sociedade seja amplamente informada sobre seus homens
públicos, seus políticos, seus artistas, não apenas através de
denúncias, mas também de interpretações. O livro publicado
sobre Roberto Carlos era laudatório; o mesmo acontecia com o
documentário de Glauber Rocha, também proibido, sobre Di
Cavalcanti.

[....] A alteração votada abre um leque extraordinário ao
desenvolvimento da produção cultural neste país. Mais livros
serão escritos, mais filmes serão realizados, mais trajetórias
políticas e artísticas serão debatidas.

(Nelson Hoineff – O Globo, 11/04/2013)


"A decisão da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara de aprovar em caráter conclusivo o projeto que autoriza a divulgação de imagens, escritos e informações biográficas de pessoas públicas pode ser um marco na história da liberdade de expressão no país".

Com relação ao primeiro parágrafo do texto, assinale a alternativa que indica o termo que exerce uma função diferente da dos demais.

a) da Câmara.
b) de imagens.
c) da liberdade.
d) de Constituição e Justiça.
e) da Comissão.

QUADRIX - CRF - RS - Programador - 2013
Português / Termos da Oração

Para responder a questão, leia o texto abaixo.

Biomedicamento terá parceria com Coreia



RENATA AGOSTINI



A Orygen Biotecnologia, uma das "superfarmacêuticas” criadas no ano passado com incentivo do governo para atuar no setor de biomedicamentos, fechou parceria com o laboratório sul-coreano Alteogen para acelerar o desenvolvimento dos produtos no país.

Pelo acordo, as companhias irão atuar em conjunto nas pesquisas para a fabricação de 2 dos 7 remédios biológicos que a Orygen se propôs a produzir para o governo no Brasil.

Os biomedicamentos são remédios avançados feitos a partir de organismos vivos. São usados no tratamento de doenças complexas como câncer, artrite reumatoide e diabetes e têm custo mais alto que os dos sintéticos, fabricados por síntese química.

Apesar de representarem apenas 5% da quantidade de medicamentos distribuídos pelo governo, os biológicos respondem por 43% do gasto total, ou R$ 5 bilhões por ano. Todos têm de ser importados, já que não há produção local dos remédios.

Essa distorção fez o governo incentivar a criação das superfarmacêuticas, com a promessa de ajuda futura do BNDES no negócio. A tendência é que a fabricação no país barateie os produtos, reduzindo os gastos do Estado.

A ideia do governo era formar uma grande empresa, a partir da união dos principais laboratórios nacionais.

Ao final, surgiram duas companhias: a Orygen Biotecnologia, sociedade entre Cristália, Biolab e Eurofarma, e a Bionovis, parceria entre Aché, EMS, Hypermarcas e União Química.

Juntas, as duas farmacêuticas terão de investir R$ 1 bilhão para fabricar os biomedicamentos nacionais.

Ambas miram os contratos com o governo, grande comprador de biológicos, e enfrentam o desafio de desenvolver do zero a tecnologia que permitirá a fabricação dos remédios.



ATALHO



Na tentativa de abreviar o caminho para a produção, a Orygen buscou os sul-coreanos da Alteogen.

A parceria foi a alternativa encontrada pela companhia para compensar a saída da americana Roche do negócio.

As duas empresas negociaram um contrato, pelo qual a multinacional se comprometia a entrar como parceira da Orygen na produção de biomedicamentos no Brasil e a bancar parte do plano de investimento da companhia.



TRANSFERÊNCIA



A operação esbarrou, contudo, no Ministério da Saúde. Hoje, o governo exige a transferência total da tecnologia de fabricação dos medicamentos aos laboratórios oficiais para que eles sejam adquiridos. A Roche só aceitava transferir parte da tecnologia.

Segundo Ogari Pacheco, dono do laboratório Cristália e que participou das negociações, a parceria com a Roche seria um atalho, uma vez que a empresa já tem em seu portfólio os medicamentos biológicos demandados pelo governo. Com isso, a produção local seria iniciada já neste ano.

“Vai demorar mais um pouco agora. Mas, se a regra do jogo é essa, vamos seguir.” A estimativa hoje é que a Orygen vá levar de dois a seis anos para colocar no mercado seu cardápio de biomedicamentos.

(http://www1.folha.uol.com.br/mercodo/)


A expressão "dos remédios", que aparece em destaque no quarto parágrafo, exerce função sintática de:

a) Objeto indireto.
b) Objeto direto.
c) Complemento nominal.
d) Adjunto adnominal.
e) Agente da passiva.

QUADRIX - CRF - RS - Programador - 2013
Português / Termos da Oração

Para responder a questão, leia o texto abaixo.

Biomedicamento terá parceria com Coreia



RENATA AGOSTINI



A Orygen Biotecnologia, uma das "superfarmacêuticas” criadas no ano passado com incentivo do governo para atuar no setor de biomedicamentos, fechou parceria com o laboratório sul-coreano Alteogen para acelerar o desenvolvimento dos produtos no país.

Pelo acordo, as companhias irão atuar em conjunto nas pesquisas para a fabricação de 2 dos 7 remédios biológicos que a Orygen se propôs a produzir para o governo no Brasil.

Os biomedicamentos são remédios avançados feitos a partir de organismos vivos. São usados no tratamento de doenças complexas como câncer, artrite reumatoide e diabetes e têm custo mais alto que os dos sintéticos, fabricados por síntese química.

Apesar de representarem apenas 5% da quantidade de medicamentos distribuídos pelo governo, os biológicos respondem por 43% do gasto total, ou R$ 5 bilhões por ano. Todos têm de ser importados, já que não há produção local dos remédios.

Essa distorção fez o governo incentivar a criação das superfarmacêuticas, com a promessa de ajuda futura do BNDES no negócio. A tendência é que a fabricação no país barateie os produtos, reduzindo os gastos do Estado.

A ideia do governo era formar uma grande empresa, a partir da união dos principais laboratórios nacionais.

Ao final, surgiram duas companhias: a Orygen Biotecnologia, sociedade entre Cristália, Biolab e Eurofarma, e a Bionovis, parceria entre Aché, EMS, Hypermarcas e União Química.

Juntas, as duas farmacêuticas terão de investir R$ 1 bilhão para fabricar os biomedicamentos nacionais.

Ambas miram os contratos com o governo, grande comprador de biológicos, e enfrentam o desafio de desenvolver do zero a tecnologia que permitirá a fabricação dos remédios.



ATALHO



Na tentativa de abreviar o caminho para a produção, a Orygen buscou os sul-coreanos da Alteogen.

A parceria foi a alternativa encontrada pela companhia para compensar a saída da americana Roche do negócio.

As duas empresas negociaram um contrato, pelo qual a multinacional se comprometia a entrar como parceira da Orygen na produção de biomedicamentos no Brasil e a bancar parte do plano de investimento da companhia.



TRANSFERÊNCIA



A operação esbarrou, contudo, no Ministério da Saúde. Hoje, o governo exige a transferência total da tecnologia de fabricação dos medicamentos aos laboratórios oficiais para que eles sejam adquiridos. A Roche só aceitava transferir parte da tecnologia.

Segundo Ogari Pacheco, dono do laboratório Cristália e que participou das negociações, a parceria com a Roche seria um atalho, uma vez que a empresa já tem em seu portfólio os medicamentos biológicos demandados pelo governo. Com isso, a produção local seria iniciada já neste ano.

“Vai demorar mais um pouco agora. Mas, se a regra do jogo é essa, vamos seguir.” A estimativa hoje é que a Orygen vá levar de dois a seis anos para colocar no mercado seu cardápio de biomedicamentos.

(http://www1.folha.uol.com.br/mercodo/)


O trecho "um contrato", em destaque no texto, exerce função sintática de:

a) Sujeito.
b) Complemento verbal.
c) Aposto.
d) Adjunto adverbial de assunto.
e) Predicativo do sujeito.



Seja aprovado em 1 ano Conheça o método para ser aprovado em Concurso Público

Estude Grátis é uma simples e poderosa ferramenta que lhe ajudará a passar nos melhores Concursos Públicos. São milhares de Questões de Concurso para você filtrar e estudar somente aqueles temas que estão especificados em seu Edital.