Questões de Auditoria de Risco de Auditoria

 /   /   /  Risco de Auditoria

Pesquise mais Questões de Auditoria de Risco de Auditoria abaixo,

FCC - SEFAZ - PI - Auditor Fiscal da Fazenda Estadual - P2 - 2015
Auditoria / Risco de Auditoria

Segundo o Decreto Estadual do Piauí no 11.392/04, o conjunto concatenado de medidas que concorre para a administração econômica eficiente e eficaz, gerando informações gerenciais confiáveis, tempestivas e relevantes, assegurando a fiel observância das políticas administrativas, com o fim de salvaguardar o patrimônio público e atender os objetivos institucionais, inclusive, consistindo de fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial do Estado e das entidades da administração direta e indireta, quanto a legalidade, legitimidade, economicidade, aplicação de subvenções e renúncia de receitas, conceitua, para a CGE,

a) a Gestão de risco.
b) a Auditoria Especial.
c) a Fiscalização.
d) o Controle Interno.
e) a Contabilidade Pública,

FCC - SEFAZ - PI - Auditor Fiscal da Fazenda Estadual - P2 - 2015
Auditoria / Risco de Auditoria

Sobre risco de auditoria, considere:

I. Segundo o modelo AICPA, Risco de Auditoria = risco inerente x risco de controle x risco de detecção.
II. Sempre haverá a presença de homocedasticidade e autocorrelação de resíduos nos itens da amostra planejada para aplicação de testes de detalhe.
III. O auditor deve determinar e valorizar os riscos inerentes e de controle, e planejar procedimentos de auditoria para o risco de detecção de tal forma que o risco geral de auditoria não supere o nível aceitável.
IV. Alta rotação de executivos, má reputação da gerência, problemas contábeis de alta complexidade, transações problemáticas com empresas correlacionadas e erros de consideração detectados na auditoria do ano anterior, entre outros fatores, afetam significativamente a estimativa de risco inerente na avaliação de risco pelo auditor.
V. A existência de determinados erros materiais, que não são detectados ou previstos tempestivamente pelos sistemas de controle interno corresponde ao risco assistemático.

Está correto o que se afirma APENAS em

a) III, IV e V.
b) II e V.
c) I e II.
d) I, III e IV.
e) II, III e IV,

FCC - TRT 19ª - Contabilidade - 2014
Auditoria / Risco de Auditoria

Os riscos de auditoria interna estão relacionados à possibilidade do auditor não atingir, de forma satisfatória, os objetivos dos trabalhos. A avaliação desses riscos deve ser feita na fase de planejamento e considerar a

a) época em que os trabalhos vão ser realizados.
b) estrutura hierárquica da entidade a ser auditada.
c) formação e escolaridade dos responsáveis pela entidade auditada.
d) extensão da responsabilidade do auditor interno no uso dos trabalhos de especialistas.
e) atividade finalística da entidade a ser auditada.

FUNDEP - CODEMIG - Auditor - 2013
Auditoria / Risco de Auditoria

Risco de auditoria é o risco de que o auditor possa, inadvertidamente, não modificar de forma adequada seu relatório sobre as demonstrações contábeis que contém classificações indevidas ou erros considerados relevantes.
Analise as seguintes afirmativas sobre os componentes do risco de auditoria.

I. O risco de controle é o risco de que controles internos não detectem ou impeçam erros ou irregularidades relevantes nas demonstrações contábeis, enquanto o risco de detalhes é o risco de que erros ou irregularidades relevantes não sejam descobertos por testes de detalhes.
II. O risco de amostragem relaciona-se com a possibilidade de que uma amostra, adequadamente coletada, não seja representativa da população, levando o auditor a uma conclusão diferente daquela que teria se examinasse toda a população.
III. O risco de detecção é o risco de que o auditor não detecte um erro ou classificação indevida relevante em uma afirmação. Pode ser expresso como uma combinação do risco de procedimentos de revisão analítica e do risco de testes de detalhes.

A partir dessa análise, conclui-se que estão CORRETAS as afirmativas.

a) I e II, apenas.
b) I e III, apenas.
c) II e III, apenas.
d) I, II e III.

FCC - SEFAZ - SP - Agente Fiscal de Rendas - P2 - 2013
Auditoria / Risco de Auditoria

O auditor externo, para certificar-se de que uma operação de leasing se enquadra na classificação de leasing operacional, deve, além de verificar se o arrendamento mercantil não transfere os riscos e benefícios inerentes à propriedade, constatar se

a) o arrendamento mercantil transfere a propriedade do ativo para o arrendatário no fim do prazo do arrendamento mercantil.
b) o prazo do arrendamento refere-se à maior parte da vida econômica do ativo, mesmo que a propriedade não seja transferida.
c) o valor presente dos pagamentos mínimos, no início do arrendamento mercantil, totaliza pelo menos substancialmente todo o valor justo do ativo arrendado.
d) os ativos arrendados são de natureza especializada, de tal forma que apenas o arrendatário possa usá-los sem grandes modificações.
e) os ganhos ou as perdas da flutuação no valor justo do valor residual são atribuídos ao arrendador.

CFC - CFC - CNAI - Qualificação Técnica Geral - 2013
Auditoria / Risco de Auditoria

Assinale a opção CORRETA.

a) Risco inerente é a suscetibilidade a uma distorção relevante que depende, fundamentalmente, do tipo de controle interno existente.
b) Risco de controle é aquele em que qualquer distorção é sempre detectada pelo próprio controle implantado.
c) Risco de controle decorre do fato que um controle é desenhado de forma a sempre superar o risco inerente.
d) Risco de detecção é o risco de que o auditor não detecte uma distorção relevante existente, ou seja, estabelece de forma apropriada a natureza, a época e a extensão dos testes necessários, mas mesmo assim não detecta uma distorção relevante existente.

CFC - CFC - CNAI - Qualificação Técnica Geral - 2013
Auditoria / Risco de Auditoria

Em conformidade com a NBC TA Estrutura Conceitual, o risco do trabalho de asseguração pode ser representado por componentes de risco. Abaixo está apresentada a definição de alguns tipos de risco associados ao trabalho dos auditores independentes. Sobre esse assunto, assinale a opção INCORRETA

a) Risco de informação é o risco potencial de que o objeto contenha distorções, decorrentes dos controles internos e que não venha a ser detectado pelo auditor independente.
b) Risco inerente é a suscetibilidade da informação sobre o objeto a uma distorção relevante, pressupondo que não haja controles relacionados.
c) Risco de controle é o risco de que uma distorção relevante possa ocorrer e não ser evitada ou detectada e corrigida, em tempo hábil, por controles internos relacionados.
d) Risco de detecção é o risco de que o auditor independente não detecte uma distorção relevante existente.

CESGRANRIO - Liquigás - Profissional Júnior - Auditoria - 2013
Auditoria / Risco de Auditoria

Na avaliação de riscos no contexto do controle interno, as diretrizes definidas pela INTOSAI dispõem que

a) a identificação do risco deve ser abrangente, considerando fatores internos e externos, em um processo contínuo, repetitivo e muitas vezes integrado ao processo de planejamento.
b) a avaliação de risco é limitada pela difi culdade e subjetividade de mensuração.
c) a determinação da tolerância ao risco, de forma objetiva, considera apenas os riscos inerentes.
d) a avaliação de riscos é recomendada quando a entidade passar por processos de reestruturação, em decorrência do alto custo e da subjetividade.
e) os riscos residuais não podem ser adequadamente considerados na avaliação de riscos, por não estarem sob controle da entidade.

FCC - TCE - SP - Auditor - 2013
Auditoria / Risco de Auditoria

Em auditoria, o denominado risco de detecção

a) independe da suficiência e adequação das evidências de auditoria coletadas pelo auditor para emissão de seu relatório.
b) é uma função direta da eficácia dos controles internos da entidade que está sendo auditada.
c) é invariável, qualquer que seja a atividade da entidade e as classes de transações por ela praticadas.
d) existe independentemente da auditoria das demonstrações contábeis, ou seja, é inerente à entidade.
e) está diretamente relacionado com a natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria.

FCC - TRT 6ª - Analista Judiciário - Contabilidade - 2012
Auditoria / Risco de Auditoria

A empresa Condor S.A. atua no segmento de crédito pessoal, com financiamentos de até R$ 30.000,00. Como sua política de análise de crédito é bastante flexível, possui um volume de operações grande, fazendo com que as perdas por inadimplência sejam absorvidas pelas operações. Como a política comercial é atuar junto a grandes lojas de varejo, a empresa concede aos inadimplentes, 80% de perdão nas multas e juros, concedido pelo próprio colaborador no caixa, desde que o cliente venha até as lojas parceiras para quitar os débitos. O auditor constatou que devido à facilidade da concessão dos descontos, os funcionários passaram a se apropriar das quitações em dinheiro feita pelos inadimplentes, dando o desconto e ficando com o dinheiro. Segundo os conceitos de auditoria externa, referida fraude evidencia um risco de

a) detecção.
b) controle.
c) monitoramento.
d) inerente.
e) operações.



Seja aprovado em 1 ano Conheça o método para ser aprovado em Concurso Público

Estude Grátis é uma simples e poderosa ferramenta que lhe ajudará a passar nos melhores Concursos Públicos. São milhares de Questões de Concurso para você filtrar e estudar somente aqueles temas que estão especificados em seu Edital.