Questões de Auditoria de Geral

Pesquise mais Questões de Auditoria de Geral abaixo,

CESGRANRIO - PETROBRAS - Profissional Júnior - Ciências Contábeis - 2015
Auditoria / Geral

Em termos amplos e gerais, Governança Corporativa diz respeito ao sistema de administrar uma empresa envolvendo processos, costumes, políticas internas e externas, leis e outros, visando a assegurar a confiabilidade dos seus acionistas, criando um conjunto eficiente de mecanismos, que esteja sempre alinhado com eles. Uma boa Governança Corporativa é fundamentada em valores que contribuam para um desenvolvimento econômico sustentável, melhorias no desempenho da empresa, minimizando abusos de poder, erros e fraudes. Nesse contexto e no sentido das dimensões dos valores da governança corporativa, a transparência de informações, especialmente das de alta relevância, que impactam os negócios e que envolvem resultados, oportunidades e riscos refere-se ao valor denominado,

a) Accountability
b) Compliance
c) Disclosure
d) Fairness
e) Shareholders

CESGRANRIO - PETROBRAS - Profissional Júnior - Ciências Contábeis - 2015
Auditoria / Geral

A partir de 2002, as empresas listadas no mercado americano estão obrigadas a ter na sua estrutura um Comitê de Auditoria, nos termos exigidos pela Seção 301 da Lei Sarbanes-Oxley (SOX). Com relação a tais comitês no Brasil, há correntes divergentes quanto a isso. Uma corrente entende que as atribuições desse Comitê de Auditoria já estão inclusas nas atribuições do Conselho Fiscal, capitulado na Lei societária, enquanto outra corrente entende que não. Independentemente dessa polêmica, o Comitê de Auditoria ou a faculdade de sua substituição pelo Conselho Fiscal, a partir de 2005, tornou-se obrigatório às empresas brasileiras,

a) com papéis negociados em Bolsas norte-americanas
b) constituídas sob a forma de sociedades anônimas, mas só as de capital aberto
c) constituídas sob a forma de sociedades anônimas, de médio porte
d) constituídas sob a forma de sociedades anônimas, mas só as de grande porte
e) de grande porte, indistintamente da forma de sua respectiva constituição

FCC - SEFAZ - PI - Auditor Fiscal da Fazenda Estadual - P2 - 2015
Auditoria / Geral

Relativamente à comunicação dos trabalhos de auditoria interna, independente e/ou perícia contábil, quando se verificar a não observância da aplicação dos princípios de legalidade, legitimidade e economicidade, constatando-se a existência de desfalque ou alcance, que resulte prejuízo quantificável para a fazenda e/ou comprometa, substancialmente, as demonstrações financeiras e respectiva gestão dos agentes responsáveis, no período examinado, a opinião do órgão ou Unidade de Controle Interno designado para o exame deve ser expressa por meio de,

a) Certificado de Irregularidade.
b) Certificado de Regularidade com Ressalvas.
c) Laudo Pericial Contábil.
d) Parecer Pericial Contábil em Separado.
e) Relatório com Ressalvas, ou parágrafo de ênfase,

FCC - SEFAZ - PI - Auditor Fiscal da Fazenda Estadual - P2 - 2015
Auditoria / Geral

Considere:

I. A elaboração de relatórios e emissão de relatórios e certificados.
II Elaboração dos papéis de trabalho e aplicação de testes.
III. Avaliação dos riscos de auditoria do Sistema de Controle Interno; Planejamento e elaboração dos programas de trabalho.
IV. Monitoramento ou follow-up.

Os itens acima constituem etapas do trabalho, recomendadas pelas normas de execução dos trabalhos de auditoria para se obter evidências robustas, e devem obedecer a sequência lógica seguinte:

a) II, IV, III e I.
b) I, III, IV e II.
c) III, II, I e IV.
d) IV, III, II e I.
e) III, IV, I e II.

FCC - SEFAZ - PI - Auditor Fiscal da Fazenda Estadual - P2 - 2015
Auditoria / Geral

O auditor, quando, não consegue obter evidência de auditoria apropriada e suficiente para suportar sua opinião, concluindo que os possíveis efeitos de distorções não detectadas, se houver, sobre as demonstrações contábeis poderiam ser relevantes e generalizadas, deverá expressar sua opinião por meio de,

a) Relatório com Abstenção de opinião.
b) Certificado de Regularidade com Ressalva.
c) Parecer Adverso.
d) Parecer Limpo com parágrafo de ênfase.
e) Certificado de Regularidade,

FCC - SEFAZ - PI - Auditor Fiscal da Fazenda Estadual - P2 - 2015
Auditoria / Geral

Entre os principais métodos de seleção de amostras citados nas Normas Brasileiras de Contabilidade Técnicas de Auditoria, aquela em que o tamanho, a seleção e a avaliação da amostra resultam em uma conclusão em quantias de dinheiro é a amostragem,

a) ao acaso.
b) estatística.
c) em bloco.
d) aleatória.
e) de unidades monetárias,

FCC - SEFAZ - PI - Auditor Fiscal da Fazenda Estadual - P2 - 2015
Auditoria / Geral

Suponha que a Organização XYZ S.A. teve a data das demonstrações contábeis em 31/12/2013, a data da aprovação dessas demonstrações em 25/01/2014, a data de relatório do auditor em 25/02/2014 e a data programada para a divulgação das demonstrações em 25/03/2014 e que, no segundo período de eventos subsequentes, uma ocorrência que se tivesse chegado a conhecimento dos auditores após a data do relatório poderia levar o auditor a modificar seu parecer e que, diante da relevância do evento, os membros da governança decidissem alterar as Demonstrações Contábeis.

Neste caso,

a) não se espera que o auditor execute procedimentos adicionais de auditoria para assuntos para os quais os procedimentos de auditoria anteriormente aplicados tenham fornecido conclusões insatisfatórias.
b) o auditor pode limitar os procedimentos de auditoria aos eventos subsequentes do primeiro período, caso a legislação não proíba a administração de restringir a alteração das demonstrações contábeis aos efeitos do evento ou eventos subsequentes que causaram essa alteração e que os responsáveis pela aprovação das demonstrações contábeis não estejam proibidos de restringir a aprovação a essa alteração.
c) o auditor deve aplicar os procedimentos de auditoria necessários nas circunstâncias da alteração, estender os procedi mentos até a data do novo relatório e fornecer novo relatório sobre as demonstrações contábeis alteradas.
d) o auditor deve solicitar à administração ou membros da governança, uma representação formal de que todos os eventos subsequentes à data das demonstrações contábeis que requerem ajuste ou divulgação sejam ajustados e divulgados, intempestivamente.
e) o auditor independente não tem obrigação de executar nenhum procedimento de auditoria em relação às demonstrações contábeis após a data do seu relatório,

FCC - SEFAZ - PI - Auditor Fiscal da Fazenda Estadual - P2 - 2015
Auditoria / Geral

O auditor deve solicitar à administração e/ou membros da governança as representações formais em conformidade com as Normas Brasileiras de Contabilidade sobre determinados assuntos, dentre os quais NÃO se inclui:,

a) Forneceu-se aos auditores acesso a todas as informações das quais estamos cientes que são relevantes para a elabo ração das demonstrações contábeis, tais como registros, documentação e outros.
b) Forneceu-se aos auditores acesso restrito a pessoas dentro da entidade das quais o auditor determinou necessário para obter evidência de auditoria.
c) Todos os eventos subsequentes à data das demonstrações contábeis e para os quais as práticas contábeis adotadas no Brasil exigem ajuste ou divulgação foram ajustados ou divulgados.
d) Os pressupostos significativos utilizados por nós ao fazermos as estimativas contábeis, inclusive aquelas avaliadas pelo valor justo, são razoáveis.
e) Os efeitos das distorções não corrigidas são irrelevantes, individual e agregadamente para as demonstrações contábeis como um todo. )

FCC - TCM - GO - Auditor Conselheiro Substituto - 2015
Auditoria / Geral

Segundo as NBC TA, na condução de auditorias, a atividade de assegurar que as operações de uma entidade sejam conduzidas em conformidade com as disposições legais, inclusive referentes aos valores e as suas divulgações reportadas nas demonstrações contábeis de uma entidade, relacionadas a objetivos, estratégias e risco do negócio, principalmente quando a entidade não possuir a equipe ou o conhecimento especializado para lidar com as mudanças no setor de atividade ou aumento de passivos relacionados aos produtos e serviços, relativos e externalidades negativas, é de responsabilidade da,

a) administração, sob a supervisão dos responsáveis pela governança.
b) auditoria interna da Controladoria Geral da União.
c) auditoria interna da Controladoria Geral do Estado.
d) auditoria governamental de programas.
e) auditoria independente das demonstrações contábeis.

FCC - TCM - GO - Auditor Conselheiro Substituto - 2015
Auditoria / Geral

Segundo a Constituição Federal, art. 71, realizar inspeções e auditorias de natureza contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial, nas unidades administrativas dos Poderes Legislativo, Executivo, Judiciário e demais entidades, assim como o julgar as contas dos administradores e demais responsáveis por dinheiros, bens e valores públicos da Administração direta e indireta, incluídas as fundações e sociedades instituídas e mantidas pelo Poder Público federal, e as daqueles que derem causa a perda, extravio ou outra irregularidade de que resulte prejuízo ao erário público está a cargo,

a) do Tribunal de Contas dos Municípios.
b) da Controladoria Geral da União.
c) da Controladoria Geral do Estado.
d) da Contabilidade Pública.
e) do Congresso Nacional,



Seja aprovado em 1 ano Conheça o método para ser aprovado em Concurso Público

Estude Grátis é uma simples e poderosa ferramenta que lhe ajudará a passar nos melhores Concursos Públicos. São milhares de Questões de Concurso para você filtrar e estudar somente aqueles temas que estão especificados em seu Edital.