Questões da Banca QUADRIX

Encontre Questões da Banca QUADRIX com o filtro abaixo,

QUADRIX - CRF - RS - Programador - 2013
Direito Penal / Lei de Drogas - Lei nº 11.343/2006

De acordo com a Lei nº 11.343/2006, que institui o Sistema Nacional de Políticas sobre Drogas (SISNAD), sobre os crimes previstos na legislação, é incorreto afirmar que:

a) É crime importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar.
b) O indiciado ou acusado que colaborar voluntariamente ou não com a investigação policial e o processo criminal na identificação dos demais coautores ou partícipes do crime e na recuperação total ou parcial do produto do crime, no caso de condenação, terá pena reduzida de um terço a dois terços.
c) As multas, que em caso de concurso de crimes serão impostas sempre cumulativamente, podem ser aumentadas até o décuplo se, em virtude da situação econômica do acusado, considerá-las o juiz ineficazes, ainda que aplicadas ao máximo.
d) As penas podem ser reduzidas de um terço a dois terços se, por força das circunstâncias previstas na legislação, o agente não possuía, ao tempo da ação ou da omissão, a plena capacidade de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse entendimento.
e) Na sentença condenatória, o juiz, com base em avaliação que a necessidade de encaminhamento do agente para tratamento, realizada por profissional da saúde com competência específica na forma da lei, determinará que a tal se proceda, observado o procedimento da presente legislação.

QUADRIX - CRF - RS - Programador - 2013
Direito Penal / Legislação Especial - Diversos

É incorreto afirmar, de acordo com a Lei nº 8.137/90, que é considerado crime contra as relações de consumo fraudar preços por meio da seguinte prática:

a) Alteração, sem modificação essencial ou de qualidade, de elementos, tais como denominação, sinal externo, marca, embalagem, especificação técnica, descrição, volume, peso, pintura ou acabamento de bem ou serviço.
b) Divisão em partes de bem ou serviço, habitualmente oferecido à venda em conjunto.
c) Junção de bens ou serviços, comumente oferecidos à venda em separado.
d) Extravio de livro oficial, processo fiscal ou qualquer documento, de que tenha a guarda em razão da função; sonegá-lo, ou inutilizá-lo, total ou parcialmente, acarretando pagamento indevido ou inexato de tributo ou contribuição social.
e) Aviso de inclusão de insumo não empregado na produção do bem ou na prestação dos serviços.

QUADRIX - CRF - RS - Programador - 2013
Direito Penal / Legislação Especial - Diversos

Assinale a alternativa incorreta, de acordo com as penalidades previstas no Código Nacional de Trânsito - Lei nº 9. 503/97.

a) As penalidades serão impostas ao condutor, ao proprietário do veículo, ao embarcador e ao transportador, inclusive nos casos de descumprimento de obrigações e deveres impostos a pessoas físicas ou jurídicas expressamente mencionadas no Código Nacional de Trânsito.
b) Aos proprietários e condutores de veículos serão impostas concomitantemente as penalidades de que trata o Código Nacional de Trânsito toda vez que houver responsabilidade solidária em infração dos preceitos que lhes couber observar, respondendo cada um de per si pela falta em comum que lhes for atribuída.
c) Ao proprietário caberá sempre a responsabilidade pela infração referente à prévia regularização e preenchimento das formalidades e condições exigidas para o trânsito do veículo na via terrestre, conservação e inalterabilidade de suas características, componentes, agregados, habilitação legal e compatível de seus condutores, quando esta for exigida, e outras disposições que deva observar.
d) O embarcador é responsável pela infração relativa ao transporte de carga com excesso de peso nos eixos ou no peso bruto total, quando simultaneamente for o único remetente da carga e o peso declarado na nota fiscal, fatura ou manifesto for inferior àquele aferido.
e) O transportador é o responsável pela infração relativa ao transporte de carga com excesso de peso nos eixos ou quando a carga proveniente de mais de um embarcador ultrapassar o peso bruto total.

QUADRIX - CRF - RS - Programador - 2013
Matemática / Geral

Um conjunto A tem 8 elementos distintos. O número de subconjuntos de A com 5 elementos diferentes cada é:

a) 52
b) 54
c) 58
d) 56
e) 60

QUADRIX - CRF - RS - Programador - 2013
Matemática / Geral

Em uma caixa há 9 cartelas numeradas de 1 a 9. Selecionando-se duas cartelas ao acaso (sem reposição), qual a probabilidade de que os números das cartelas sorteadas sejam ímpares?

a) 0,3777...
b) 0,17
c) 0,47
d) 0,1333...
e) 0,2777...

QUADRIX - CRF - RS - Programador - 2013
Matemática / Geral

Das 180 pessoas que trabalham em uma empresa, sabe-se que 40% têm nível universitário e 60% so do sexo masculino. Se 25% do número de mulheres têm nível universitário, a probabilidade de se selecionar um funcionário dessa empresa que seja do sexo masculino e não tenha nível universitário é:

a) 3/10
b) 5/36
c) 1/5
d) 5/12
e) 1/8

QUADRIX - CRF - SP - Analista de Sistemas - 2013
Matemática / Geral

Um cliente deseja comprar um pio de forma entre 5 opções possiveis, mas quer escolher o que possui menos calorias por fatia. Cada pio pesa 600 gr e tem 20 fatias iguais. As opções dele são:

I. 180 cal cada 1.5 fatia
II. 270 cal a cada 25 fatias
III. 200 cala cada 60 gr
IV. 120 cal por fatia
V. 1632 cal por 510 gr

Entre as opções acima, o menos calórico é o pão:

a) I.
b) II.
c) III.
d) IV.
e) V.

QUADRIX - CRF - SP - Analista de Sistemas - 2013
Matemática / Geral

Num departamento de uma empresa, trabalham 60 pessoas entre técnicos e auxiliares. Desse total sabe-se que 60% dos técnicos são casados, 20% dos auxiliares são casados, 14 técnicos são solteiros e 30% dos auxiliares solteiros são mulheres. Nesse caso, a quantidade de mulheres auxiliares solteiras é de:

a) 9
b) 8
c) 7
d) 6
e) 5

QUADRIX - CRF - RS - Programador - 2013
Português / Período composto por coordenação e subordinação

Para responder a questão, leia o texto abaixo.

Biomedicamento terá parceria com Coreia



RENATA AGOSTINI



A Orygen Biotecnologia, uma das "superfarmacêuticas” criadas no ano passado com incentivo do governo para atuar no setor de biomedicamentos, fechou parceria com o laboratório sul-coreano Alteogen para acelerar o desenvolvimento dos produtos no país.

Pelo acordo, as companhias irão atuar em conjunto nas pesquisas para a fabricação de 2 dos 7 remédios biológicos que a Orygen se propôs a produzir para o governo no Brasil.

Os biomedicamentos são remédios avançados feitos a partir de organismos vivos. São usados no tratamento de doenças complexas como câncer, artrite reumatoide e diabetes e têm custo mais alto que os dos sintéticos, fabricados por síntese química.

Apesar de representarem apenas 5% da quantidade de medicamentos distribuídos pelo governo, os biológicos respondem por 43% do gasto total, ou R$ 5 bilhões por ano. Todos têm de ser importados, já que não há produção local dos remédios.

Essa distorção fez o governo incentivar a criação das superfarmacêuticas, com a promessa de ajuda futura do BNDES no negócio. A tendência é que a fabricação no país barateie os produtos, reduzindo os gastos do Estado.

A ideia do governo era formar uma grande empresa, a partir da união dos principais laboratórios nacionais.

Ao final, surgiram duas companhias: a Orygen Biotecnologia, sociedade entre Cristália, Biolab e Eurofarma, e a Bionovis, parceria entre Aché, EMS, Hypermarcas e União Química.

Juntas, as duas farmacêuticas terão de investir R$ 1 bilhão para fabricar os biomedicamentos nacionais.

Ambas miram os contratos com o governo, grande comprador de biológicos, e enfrentam o desafio de desenvolver do zero a tecnologia que permitirá a fabricação dos remédios.



ATALHO



Na tentativa de abreviar o caminho para a produção, a Orygen buscou os sul-coreanos da Alteogen.

A parceria foi a alternativa encontrada pela companhia para compensar a saída da americana Roche do negócio.

As duas empresas negociaram um contrato, pelo qual a multinacional se comprometia a entrar como parceira da Orygen na produção de biomedicamentos no Brasil e a bancar parte do plano de investimento da companhia.



TRANSFERÊNCIA



A operação esbarrou, contudo, no Ministério da Saúde. Hoje, o governo exige a transferência total da tecnologia de fabricação dos medicamentos aos laboratórios oficiais para que eles sejam adquiridos. A Roche só aceitava transferir parte da tecnologia.

Segundo Ogari Pacheco, dono do laboratório Cristália e que participou das negociações, a parceria com a Roche seria um atalho, uma vez que a empresa já tem em seu portfólio os medicamentos biológicos demandados pelo governo. Com isso, a produção local seria iniciada já neste ano.

“Vai demorar mais um pouco agora. Mas, se a regra do jogo é essa, vamos seguir.” A estimativa hoje é que a Orygen vá levar de dois a seis anos para colocar no mercado seu cardápio de biomedicamentos.

(http://www1.folha.uol.com.br/mercodo/)


A oração "para acelerar o desenvolvimento dos produtos no país" pode ser classificada como:

a) Subordinada adverbial final, reduzida de infinitivo.
b) Subordinada adverbial consecutiva.
c) Coordenada sindética adversativa.
d) Subordinada adjetiva restritiva.
e) Coordenada assindética.

QUADRIX - CRF - RS - Programador - 2013
Português / Termos da Oração

Para responder a questão, leia o texto abaixo.

Biomedicamento terá parceria com Coreia



RENATA AGOSTINI



A Orygen Biotecnologia, uma das "superfarmacêuticas” criadas no ano passado com incentivo do governo para atuar no setor de biomedicamentos, fechou parceria com o laboratório sul-coreano Alteogen para acelerar o desenvolvimento dos produtos no país.

Pelo acordo, as companhias irão atuar em conjunto nas pesquisas para a fabricação de 2 dos 7 remédios biológicos que a Orygen se propôs a produzir para o governo no Brasil.

Os biomedicamentos são remédios avançados feitos a partir de organismos vivos. São usados no tratamento de doenças complexas como câncer, artrite reumatoide e diabetes e têm custo mais alto que os dos sintéticos, fabricados por síntese química.

Apesar de representarem apenas 5% da quantidade de medicamentos distribuídos pelo governo, os biológicos respondem por 43% do gasto total, ou R$ 5 bilhões por ano. Todos têm de ser importados, já que não há produção local dos remédios.

Essa distorção fez o governo incentivar a criação das superfarmacêuticas, com a promessa de ajuda futura do BNDES no negócio. A tendência é que a fabricação no país barateie os produtos, reduzindo os gastos do Estado.

A ideia do governo era formar uma grande empresa, a partir da união dos principais laboratórios nacionais.

Ao final, surgiram duas companhias: a Orygen Biotecnologia, sociedade entre Cristália, Biolab e Eurofarma, e a Bionovis, parceria entre Aché, EMS, Hypermarcas e União Química.

Juntas, as duas farmacêuticas terão de investir R$ 1 bilhão para fabricar os biomedicamentos nacionais.

Ambas miram os contratos com o governo, grande comprador de biológicos, e enfrentam o desafio de desenvolver do zero a tecnologia que permitirá a fabricação dos remédios.



ATALHO



Na tentativa de abreviar o caminho para a produção, a Orygen buscou os sul-coreanos da Alteogen.

A parceria foi a alternativa encontrada pela companhia para compensar a saída da americana Roche do negócio.

As duas empresas negociaram um contrato, pelo qual a multinacional se comprometia a entrar como parceira da Orygen na produção de biomedicamentos no Brasil e a bancar parte do plano de investimento da companhia.



TRANSFERÊNCIA



A operação esbarrou, contudo, no Ministério da Saúde. Hoje, o governo exige a transferência total da tecnologia de fabricação dos medicamentos aos laboratórios oficiais para que eles sejam adquiridos. A Roche só aceitava transferir parte da tecnologia.

Segundo Ogari Pacheco, dono do laboratório Cristália e que participou das negociações, a parceria com a Roche seria um atalho, uma vez que a empresa já tem em seu portfólio os medicamentos biológicos demandados pelo governo. Com isso, a produção local seria iniciada já neste ano.

“Vai demorar mais um pouco agora. Mas, se a regra do jogo é essa, vamos seguir.” A estimativa hoje é que a Orygen vá levar de dois a seis anos para colocar no mercado seu cardápio de biomedicamentos.

(http://www1.folha.uol.com.br/mercodo/)


A expressão "dos remédios", que aparece em destaque no quarto parágrafo, exerce função sintática de:

a) Objeto indireto.
b) Objeto direto.
c) Complemento nominal.
d) Adjunto adnominal.
e) Agente da passiva.

Seja aprovado em 1 ano Conheça o método para ser aprovado em Concurso Público

Estude Grátis é uma simples e poderosa ferramenta que lhe ajudará a passar nos melhores Concursos Públicos. São milhares de Questões de Concurso para você filtrar e estudar somente aqueles temas que estão especificados em seu Edital.